• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

A Campanha da Fraternidade, iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promovida pela Igreja Católica em todo o país, foi destaque na sessão Ordinária da Câmara de Caraguatatuba na última terça-feira (22/3), por meio de um discurso do padre Mauro José Ramos na Tribuna da Casa de Leis. Padre Mauro, que é Assessor da Comissão Fé e Política da Diocese de Caraguatatuba, representou o bispo diocesano Dom José Carlos Chacorowski e apresentou aos vereadores e público presente o tema de reflexão para este ano: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”.

CF NA TRIBUNA1

O religioso reforçou a preocupação da Igreja com a Casa Comum, ou seja, com o planeta, que precisa ser cuidado e preservado por todos. Desde o ano passado, a Campanha da Fraternidade vem trabalhando temas voltados ao resgate e preservação do Meio Ambiente, numa referência à encíclica do Papa Francisco, que chamou a atenção para esse tema.

Padre Mauro salientou a importância de fomentar as discussões e propor leis e soluções que visem resolver problemas recorrentes, como enchentes, cuidados com a natureza e incentivo à coleta seletiva. Falou das iniciativas desenvolvidas pela Igreja, como o projeto Reciclóleo, desenvolvido pela Cáritas Diocesana, que motiva a coleta de óleo usado para posterior fabricação de biodiesel, detergente e sabão caseiro, com renda revertida para projetos sociais com mães carentes e formação.

Por fim, Padre Mauro conclamou os parlamentares a abraçarem a causa, de forma a propor leis e intensificarem políticas públicas para construções e moradias, preservação ao meio ambiente, em especial com escolas e centros educacionais, imbuindo nas crianças desde as primeiras idades, a importância do cultivo e cuidado com o planeta. “Esse é o único lugar onde as pessoas têm uso e direito a voz de modo oficial e legítimo”, concluiu.

O bispo Dom José Carlos Chacorowski, da Diocese de Caraguatatuba, recebeu a Comenda Thomaz Camanis Filho, em referência aos serviços prestados pela Igreja por ocasião da Catástrofe que vitimou oficialmente 436 pessoas e arrasou a cidade de Caraguatatuba em 18 de março de 1967. A homenagem foi entregue na última sexta-feira (17/3), durante solenidade realizada pela Prefeitura de Caraguá e a Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba – Fundacc, que referenciou os 50 anos da tragédia.

DOM JOSE COMENDA JN

A cerimônia homenageou heróis, sobreviventes e instituições que ajudaram no socorro às vítimas naquele fatídico dia. Thomaz Camanis, que dá nome à Comenda entregue aos homenageados, foi o radioamador que conseguiu mandar a mensagem avisando que a cidade estava morrendo. O pedido de socorro foi captado por uma embarcação que avisou a Delegacia dos Portos em Santos, que repicou a informação para Taubaté, de forma que o pedido de ajuda chegou até o Palácio do Governo, onde o então governador Abreu Sodré enviou ajuda.

A irmã Maria Neusa Sudário dos Santos, supervisora da Santa Casa de Misericórdia de Caraguatatuba, também foi agraciada com a comenda, representando a entidade. A Casa de Saúde Stella Maris teve papel fundamental no socorro aos sobreviventes, mesmo com parte da infraestrutura atingida pela lama e escombros.

IRMA NEUSA WEB
A solenidade contou ainda com a abertura da Exposição Cinquentenário da Catástrofe de 1967, com imagens que marcaram aqueles dias de março de 1967. Até o próximo dia 19 de abril a mostra pode ser visitada no Museu de Arte e Cultura de Caraguatatuba (MACC). Depois, as fotos percorrerão o município com mostras itinerantes.

MISSA 50 JN 2 WEBA Diocese de Caraguatatuba realizou uma Missa em memória às vítimas da Catástrofe de 1967 em Caraguatatuba no último sábado (18/3), data em que a tragédia que vitimou oficialmente 436 pessoas e arrasou o município completou 50 anos. A celebração foi presidida por Dom José Carlos Chacoroswki, bispo diocesano e contou com a presença de parte do clero e autoridades, como o prefeito de Caraguatatuba, Aguilar Junior, a primeira dama, Samara Aguilar e a presidente da Fundacc, Silmara Mattiazzo, entre outros.

Dom José Carlos lembrou as vítimas falecidas, mas também destacou a importância das pessoas que sobreviveram à fatalidade e ajudaram a reconstruir Caraguatatuba, reunindo todos os esforços possíveis para que hoje a cidade fosse reconhecida como a “Princesinha do Litoral”. A Diocese homenageou o médico Keiiti Nakamura, que vivenciou a tragédia e ajudou a salvar muitas vidas. Também foi homenageada a irmã Maria Neusa Sudário dos Santos, superiora da Santa Casa, que foi de extrema importância para prestar socorro aos feridos, mesmo em meio à lama e muitos escombros. MISSA 50 JN WEB

Irmã Maria Neusa leu a ata relatada pelas religiosas da Congregação das Pequenas Missionárias de Caraguatatuba que atuaram no atendimento às vítimas da catástrofe e emocionou os presentes com os relatos. A celebração foi encerrada com uma oração escrita especialmente para a ocasião pelo padre Mauro Ramos, pároco da Paróquia São João Batista, do bairro do Poiares.

Memorial
Também foi entregue na ocasião uma placa simbólica do Memorial do Cinquentenário, uma iniciativa da Diocese em parceria com a Prefeitura, que deverá ser entregue oficialmente ao município junto com a revitalização da Praça da Bíblia durante as comemorações do aniversário de Emancipação Político-Administrativa de Caraguatatuba no mês de abril.

Dom José Carlos, o prefeito Aguilar Junior e demais autoridades também fizeram o plantio de uma muda de pau-brasil nas dependências da Santa Casa de Misericórdia, em alusão à encíclica do Papa Francisco e da Campanha da Fraternidade, que estimulam o cuidado com a Casa Comum, ou seja, o planeta. MISSA 50 PAU BRASIL JN 1 WEB

Notícias da Diocese veja mais notícias

Notícias das Paróquias

Diocese na rede

Veja também

Últimas do Twitter

Rádios

Ouça agora