• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Ordenação Sacerdotal de Frei Sérgio Silas – Paróquia Nossa Senhora do Amparo em 04/07/2015

Frei Sérgio Silas: “O Ministério que hoje assumo não é um privilégio; é graça”.em

Frei Gustavo Medella (texto); Érika Augusto (fotos) 

“O Ministério que hoje assumo não é um privilégio; é graça”. Com esta afirmação, dita e repetida diversas vezes em suas palavras de agradecimento, Frei Sérgio Silas Damasceno recebeu, neste sábado, dia 04 de julho, a ordenação presbiteral. No mesmo discurso, o neo-sacerdote se comprometeu a se colocar a serviço do povo de Deus como presbítero franciscano, tendo como parâmentro Cristo do Lava-Pés, que se fez servo, e do Cristo pobre, humilde e crucificado, tão caro a São Francisco de Assis. A celebração ocorreu na Basílica Menor de Nossa Senhora da Boa Viagem, no Centro de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e começou s 16h. A cerimônia foi presidida de forma discreta, serena e piedosa por Dom Nelson Westrupp, administrador apostólico da Diocese de Santo André, qual pertence também o município de São Bernardo.

imppConcelebraram o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, o Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, Padre Giuseppe Bortolato, anfitrião da festa, o Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, comunidade natal de Frei Sérgio Silas, Padre Antonio Luiz de Araújo (Padre Toninho), além dos confrades do Regional de São Paulo, o coordenador da Fraternidade de São Sebastião, SP, e pároco da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, onde Frei Silas reside e atua, Frei Paulo Santana, colegas de turma e formadores. Também marcaram presença confrades estudantes de Petrópolis (Teologia) e Campo Largo (Filosofia). Estiveram presentes ainda os familiares do ordenando, com destaque para sua mãe, Maria Aparecida, além de amigos das diferentes épocas e dos diversos lugares por onde Frei Sérgio Silas passou e viveu.

A celebração transcorreu de forma tranquila, com serviço muito eficiente dos dois diáconos, dos acólitos, leitores, ministros e da equipe de música. Frei Diego Melo, do Serviço de Animação Vocacional, esteve nos comentários. Os cantos eram fáceis e conhecidos, porém profundos em suas letras e foram entoados com entusiasmo pela assembleia.

Na homilia, Dom Nelson, que é religioso da Congregação do Sagrado Coração de Jesus (SCJ), falou com muito carinho e desenvoltura sobre os aspectos próprios da espiritualidade franciscana. Exaltou a figura de São Francisco de Assis e relembrou que a primeira vocação daquele que se propõe a seguir o Santo de Assis não é a de ser sacerdote. “Para o religioso franciscano, o sacerdócio é uma maneira de se colocar a serviço da Igreja e do mundo ao modo de São Francisco, exercendo o ministério com profunda caridade, senso de fraternidade, de maneira simples e salvaguardando os bens da criação”, frisou o bispo. Dom Nelson também exortou Frei Sérgio Silas a buscar inspiração em Maria e lembrou, citando o Papa Francisco, que a vocação é um presente e que ninguém “compra ingresso” para ser um sacerdote, mas é chamado por Deus. Nesta consideração, o bispo foi ao encontro do lema escolhido por Frei Silas para marcar o seu compromisso sacerdotal “Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi” (Jo 15,16).

Houve diversos os momentos emocionantes. A vestição foi um deles, quando Frei Silas foi revestido com as vestes sacerdotais, contando com o auxílio de Frei Paulo Santana, seu coordenador, e Frei César Külkamp, formador do neo-sacerdote em diferentes etapas da caminhada franciscana. Nesta hora, toda a assembleia entoava o clássico “A Ti, meu Deus” em plenos pulmões. Outro momento em que muitos ficaram com os olhos marejados foi logo após o rito da unção das mãos, quando Frei Silas, após tê-las ungidas e amarradas por Dom Nelson, apresentou-as sua mãe, Maria Aparecida, que soltou o laço e recebeu, em prantos, a primeira bênção do mais novo padre.

meioTambém merecem menção e destaque os momentos em que a Igreja lotada viveu um clima de profundo recolhimento e oração, como na hora da Ladainha de todos os Santos, quando o ordenando, deitado no chão, recebeu as preces de intercessão das Igrejas da terra (a assembleia ali reunida) e do céu (os santos e santas que participam da glória eterna de Deus). No rito de imposição das mãos, um silêncio profundamente orante encheu a grande igreja basílica de Nossa Senhora da Boa Viagem. Durante a oração eucarística, Frei Sérgio Silas fez uma prece especial na intenção de seu pai, Amadeu Damasceno, falecido quando o frade ainda era criança.

Falando em nome de todos os frades, o Ministro Provincial fez um grande agradecimento a todos, desde a famílias, aos párocos e s comunidades das duas paróquias que acolheram e preparam a festa, ao Bispo, Dom Nelson, família de Frei Sérgio Silas e a todos os presentes. No final, com voz animada, convidou todos a rezarem para que haja cada vez mais vocações religiosas e sacerdotais. Logo após a celebração, todos foram recebidos com um farto lanche oferecido pela comunidade no salão paroquial.

 Colegas de turma comparecem em massa

Fato que chamou a atenção na ordenação de Frei Sérgio Silas foi a presença considerável de seus colegas de turma do tempo de seminário, tanto entre os que permaneceram na caminhada franciscana quanto os que trilharam outros caminhos. Entre os frades, estavam: Frei Jeâ Paulo Andrade, que atualmente reside no Convento da Penha, em Vila Velha, ES; Frei Clauzemir Maximovitz da Fratenidade Nossa Senhora da Boa Viagem, na Rocinha, Rio de Janeiro; Frei Marcos Prado dos Santos, que está em Santo Amaro da Imperatriza, SC, Frei André Luiz da Rocha Henriques, residente em Florianópolis, e Frei Rodrigo da Silva Santos, atualmente no Seminário São Francisco, em Ituporanga, SC.

 

 

01300305222414