• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

“Fraternidade e Juventude” . “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8)

Veja mais notícias

_DSC2017

_DSC2047

painel

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na Diocese de Caraguatatuba a abertura oficial aconteceu no dia 14 de fevereiro, quinta-feria, momento em que também foi apresentado a comunidade diocesana o novo painel do presbitério da Catedral Divino Espírito Santo, parte concluída desta fase da obra de construção e adaptação dos novos espaços.

Após 21 anos da Campanha da Fraternidade de 1992, que abordou como tema central a juventude, a CF 2013, na sua 50ª edição, terá a mesma temática. A acolhida da temática “juventude” tem como objetivo ter mais um elemento além da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para fortalecer o desejo de evangelização dos jovens.

A juventude fez parte ativa na liturgia presidida pelo Pe. Inocencio Xavier, Administrador diocesano.

O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Eduardo Pinheiro, explicou que uma das metas principais da CF de 2013 é olhar a realidade juvenil, compreender a riqueza de suas diversidades, potencialidades e propostas, como também os desafios que provocam atitudes e auxílios aos jovens e aos adultos.

O secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, lembrou que a edição de 2013, além de ser um momento comemorativo, será também um momento de revisão da Campanha da Fraternidade. “A Campanha tem um forte poder de evangelização e, por isso, precisamos, cada vez mais, aprimorá-la”, ressaltou. Ele lembrou que a decisão de fazer o lançamento da em Natal foi do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), da CNBB.

O objetivo geral da CF é acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna, fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz.

“Dentro do sentido da palavra ‘acolher’ está o valorizar, o respeitar o jovem que vive nesta situação de mudança de época e isso não pode ser esquecido”, destacou o presidente da Comissão da CNBB

fonte:CNBB