• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Diocese? Paróquia? Matriz? Catedral?

Veja mais notícias

Ainda hoje as pessoas  fazem muita confusão com os termos diocese, paróquia, matriz, catedral, e seus respectivos significados.

Vamos fazer uma breve explicação do significado de cada um desses termos:

Diocese – é um determinado território em que se encontra presente a Igreja de Jesus Cristo, no seu povo. Por isso dizermos que uma diocese é uma Igreja particular. De modo que a Diocese é todo aquele território. A Diocese geralmente leva o nome de sua cidade-sede. Nossa Diocese é a Diocese de Caraguatatuba, mais ela não é somente a cidade de Caraguatatuba, compreende toda a extensão territorial do litoral norte. É a Santa Sé que define essa extensão territorial ao criar uma Diocese, e confia essa Igreja particular a um Bispo, legitimo sucessor dos apóstolos de Jesus.

Catedral – é a Igreja-mãe nesta Diocese, onde fica a cátedra (cadeira) do bispo, de onde ele governa a Diocese toda. Muitas vezes dizemos corriqueiramente quando vamos catedral ou cúria diocesana que estamos indo Diocese, mais essa não é a maneira certa de falar, porque como bem dissemos antes, diocese é toda a extensão territorial. A catedral, poderíamos dizer que é a igreja principal de uma diocese, a igreja do Bispo, onde acontecem as principais celebrações da Diocese, mais ela sozinha não é a diocese, pois a diocese é todo o conjunto das paróquias espalhadas por sua região territorial.

Cúria Diocesana – é o escritório central de uma Diocese, onde se revolve as questões jurídicas, administrativas e pastorais da mesma.

Paróquia – uma diocese se subdivide em pequenas regiões territoriais que chamamos de Paróquia. Isso para se garantir maior eficiência no pastoreio do povo de Deus. Como o Bispo não pode estar em todo lugar, ele conta com colaboradores diretos em sua missão, que são os padres. Em cada Paróquia, o bispo nomeia como pároco um de seus sacerdotes. Este tem missão de animar a comunidade paroquial, que compreende todo o território da paróquia, todas as comunidades presentes nesse território. Em muitos casos, principalmente em se tratando de paróquias muito extensas, o bispo pode nomear um padre ou mais como vigário paroquial. Este terá a missão de auxiliar do pároco local na missão da animação pastoral da comunidade.

Matriz Paroquial – Entre as diversas comunidades presentes nesse território paroquial, uma delas, a que esteja mais bem organizada e possua uma igreja, deverá ter sua Igreja nomeada a Matriz Paroquial, ou seja, ma espécie de sede da paróquia, onde irão acontecer as principais celebrações da paróquia. Assim como a Catedral deve ser o lugar da unidade de uma diocese, a Matriz paroquial deve ser o lugar de unidade da paróquia, onde todas as comunidades da paróquia são chamadas a celebrar juntas e junto de seus pastores o mistério da nossa fé cristã católica.

NB: Paróquia não é a matriz sozinha, mais toda a comunidade, ou as comunidades reunidas. O Documento de Aparecida vai definir: Paróquia – comunidade de comunidades.
Toda Paróquia tem uma igreja Matriz. Muitas vezes achamos que Matiz são apenas aquelas igrejas que estão situadas no centro da cidade, mais esse pensamento está errado, pois toda sede de uma paroquial é uma Matriz Paroquial.
Toda diocese tem apenas uma igreja catedral, independente de quantas cidades essa diocese compreender. Repare que quando falamos em igreja, com letra minúscula, falamos da igreja templo, pedra, onde a Igreja, com I maiúsculo, que somos nós, Igreja, povo de Deus, se reúne.

Pe. Douglas Franco Machado
Assessor diocesano de Liturgia