• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Começa a festa social do padroeiro da Diocese

Veja mais notícias

540125_358864817550969_1114151197_n22 anos de fé e tradição religiosa marcam a caminhada da comunidade.

Começou nesta sexta-feira,26, e se estende até o final de maio, sempre nos finais de semana, a XXII Festa do Divino Espírito Santo, em Caraguatatuba. A festa litúrgica, celebrada pela Igreja católica como festa de Pentecostes acontece no dia 19 de maio, mas antes disso, toda a comunidade se prepara com a Novena.
Para os católicos no litoral norte é uma data ainda mais especial, pois trata-se do padroeiro da Diocese de Caraguatatuba.

Este ano, a igreja do Divino, Catedral da Diocese, abre as festividades com a apresentação aos fiéis da adequação dos novos espaços litúrgicos, ainda não finalizados, mas que vão definindo o que deve ser a Catedral de uma diocese. Nesta estruturação física, inauguração as novas instalações da secretaria paroquial, sempre com o objetivo de melhor acolher todos que procuram atendimento pastoral e espiritual.
Para a festa social que começou nesta sexta-feira, 26,  a diversão fica por conta do tradicional sorteio de prêmios e a praça de alimentação onde não devem faltar o delicioso churrasco e o tradicional bolinho caipira.

A Novena do Divino que vem com o tema principal “O Espírito Santo nos impulsiona para a Missão e  professar a Fé” começa no dia 9 de maio sempre s 19h30, tendo em cada dia um tema de reflexão que deve ser abordado pelo celebrante convidado (abaixo).  A cada dia um setor da sociedade receberá uma bênção especial começando pelos pescadores. No dia 10 a Missa será presidida pelo Pe. Juarez de Castro com a bênção dos turistas. Destaque para o dia 12 de maio, dia das mães e Dia Mundial das Comunicações Sociais, com um dia cheio de atividades. Logo s 8h haverá canoagem no Rio Santo Antonio. Às 9h30 a Santa Missa e s 11h30 saída da cavalgada da Praça de Eventos em direção a Catedral onde será oferecido o tradicional Afogado. Neste mesmo dia, celebra a Missa solene das 19h30 o arcebispo de Passo Fundo, Dom Antonio Carlos Altieri.No dia 18, que antecede a Festa de Pentecostes, a Solenidade da Vigília será s 18h30, presidida pelo Vigário Paroquial Pe André Luiz Ouriques No dia 19, Solenidade de Pentecostes, será realizada a 1ª Pedalada do Divino com saída da Catedral s 8h30. Às 17h a Procissão pelas ruas da cidade, saindo da matriz Santo Antônio e s 18h30 a Missa Solene de Pentecostes.

Programação litúrgica da Novena de 9 a 19 de maio.

Tema Principal: “O Espírito Santo nos impulsiona para a Missão e  a professar a Fé”.

1º Dia 09 – Tema: “Ser missionário entre os Pescadores e leva-los a professa a Fé em Jesus Cristos”. Benção aos Pescados

2º Dia 10 – Tema: “ Ser Missionário entra os Turistas e  leva-los a professar a fé em Jesus Cristos”. – Celebrante: Pe Juarez de Castro – Benção  aos Turistas

3º dia 11 – Tema: “Ser Missionário entre os JOVENS e leva-los a professar a Fé em Jesus Cristo.” Celebrante:  Pe. Matheus Danieli (Vigario Paroquial da Catedral Metropolitana de Passos Fundos) – Benção aos Jovens

4º Dia- 12 – Tema: “Ser missionário entres as Crianças e leva-las a professar a Fé em Jesus Cristo”. Celebrante: Dom Antônio Carlos Altieri ( Arcebispo da Arquidiocese de Passo Fundo).Benção as mães e  Criança

 5º Dia- 13 – Tema: “Ser missionário na Família e leva-las a professar a Fé em Jesus Cristo” – Celebrante: Dom Joércio Gonçalves Pereira – Benção as Famílias.

6º Dia- 14 – Tema: “Ser missionário entres os Empresários e leva-las a professar a Fé em Jesus Cristo”. Celebrante- Pe Mauro José Ramos (Paroquia São João Batistas-Caraguatatuba). Benção aos Empresários

7º Dia- 15 – Tema: “Ser missionário entre os Enfermos e leva-las a professar a Fé em Jesus Cristo”. Celebrante: Pe Joel Nery – Benção aos Enfermos.

8º Dia- 16 – Tema: “Ser missionário entre os Idosos e leva-las a professar a Fé em Jesus Cristo” – Celebrante: Pe Moises do Nascimento ( Paróquia São Jose) –                           Benção aos Idosos.

9º Dia- 17- Sexta-feira – Tema: “Ser missionário entre os Migrantes e leva-las a professar a Fé em Jesus Cristo”. Celebrante: Pe Carlos Alberto da Silva. (Seminário Maior Beato Anchieta e Seminário Propedêutico São Domingo Sávio). Benção aos Migrantes

 Dia 18 – Sábado – Solenidade Vigília de Pentecostes. –Celebrante: Pe André Luiz Ouriquez – (Vigário Paroquial) – 18h30- Missa Solene.

 Dia 19 – Domingo – Solenidade de Pentecostes – 19h30

O Divino Espírito Santo. Quem Ele é?

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, o Espírito Santo é a “Terceira Pessoa da Santíssima Trindade”. Quer dizer, havendo um só Deus, existem nele três pessoas diferentes: Pai, Filho e Espírito Santo. Esta verdade foi revelada por Jesus em seu Evangelho.
Pelo Espírito Santo nós podemos dizer que “Jesus é o Senhor”, quer dizer para entrar em contato com Cristo é necessário Ter sido atraído pelo Espírito Santo.
Mediante o Batismo nos é dado a graça do novo nascimento em Deus Pai por meio de seu Filho no Espírito Santo. Porque os que são portadores do Espírito de Deus são conduzidos ao Filho; mas o Filho os apresenta ao Pai, e o Pai lhes concede a incorruptibilidade. Portanto, sem o Espírito não é possível ver ao Filho de Deus, e sem o Filho, ninguém pode aproximar-se do Pai, porque o conhecimento do Pai é o Filho, e o conhecimento do Filho de Deus se alcança pelo Espírito Santo.

 Os Símbolos do Espírito Santo

Na bíblia, a obra do Espírito Santo é descrita através de símbolos. É por meio deles que se percebe sua presença.
A água tornada sacramental simboliza e significa a ação do mesmo Espírito, no batismo, Paulo confirma: “Fomos batizados num só Espírito” e “Todos bebemos de um só Espírito”. (1Cor 12,13).
A unção trata-se da unção com óleo que passou a ser sinal eficaz do Espírito, Jesus é o messias, palavra hebraica que significa o ungido. A unção com o óleo, tanto no batismo como na crisma é sinal da presença do Espírito como na crisma, é sinal da presença do Espírito em nós, também.
O fogo “apareceram, então, umas línguas de fogo, que se espalharam e foram pousar sobre cada um deles. Todos ficaram repletos do Espírito Santo”(At 2,3). O fogo simbolizou a energia transformadora da ação do Espírito nos apóstolos.
A nuvem e a luz As nuvens, ora escuras, ora cheias de luz, estão presentes nas diversas manifestações da divindade, narradas na bíblia. Na anunciação de Maria, o anjo afirma que “o poder do Altíssimo a cobrirá com sua sombra”(Lc 1,35). No monte da Transfiguração, o Espírito se apresenta, também, “quando desceu uma nuvem, e os encobriu com sua sombra”. Da nuvem sai a voz “Este é o meu Filho, o Escolhido. Escutem o que ele diz!”. (Lc 9,34-35).
O selo tem quase o mesmo significado da unção. Os batizados recebem pela unção a marca de Deus. Pertencem ao Senhor, por seu Espírito. É Cristo que “Deus marcou com seu selo”(Jô 6,27) e é no Espírito que também nós somos marcados com um selo (cf. 2 Cor. 1,22).
A mão era impondo as mãos que Jesus curava os doentes e abençoava as crianças (cf. Mc 6,5; 8,23 e 10,16). A igreja conserva esse gesto na liturgia dos sacramentos para a efusão do Espírito.
O dedo no hino “Vem, Espírito criador”, o Espírito é invocado com o dedo da direita de DEUS! A lei de Deus foi escrita pelo Espírito, através do dedo de Deus, nas tábuas de pedra. (cf. EX 31,28). A pomba Quando Jesus foi batizado, “viu o Espírito de Deus, descendo como uma pomba e pousando sobre ele”(Mt 3,16). O símbolo da pomba, para sugerir o Espírito Santo, é tradicional na Igreja.
O sopro “Jesus disse de novo para eles: A paz esteja com vocês”… Tendo falado isso: soprou sobre os apóstolos, dizendo: “Recebam o Espírito Santo”(Jo 20,22). Quando chegou o dia de Pentecostes, o sopro de um forte vendaval precedeu a chegada do Espírito (At 2,2).

Vem Santo Espírito de Deus, vem iluminar a nossa vida!
Vem Santo Espírito de Deus, vem nos conduzir Divina Luz!

 Dons do Espírito Santo

Dons são qualidades que Deus dá nossa alma que nos permitem perceber e viver as graças dele na nossa vida e praticar sua vontade.Tornam-nos dóceis ao sopro do Espírito Santo, despertando-nos para ouvir a voz de Deus em nosso interior e nas coisas criadas por Ele.

1) Sabedoria: é o dom de perceber o certo e o errado, o que favorece e o que prejudica o projeto de Deus, quem acredita na libertação e quem está interessado na opressão. A sabedoria é dada especialmente aos pobres (Mt 11, 25) e aqueles que são solidários a eles. Não tem nada a ver com cultura. Por este Dom buscamos, não as vantagens deste mundo, mas o Bem Supremo da Vida, que nos enche o coração de paz e nos faz felizes. Diz o Senhor: “Feliz o homem que encontrou a sabedoria… Ela é mais valiosa do que ás pérolas” (Cf. Pv 3,13-15). A Sabedoria que vem do Espírito Santo “é um reflexo da luz eterna” (Cf Sb 7,26).

2) Inteligência: é o dom de entender os sinais da presença de Deus nas situações humanas, nos conflitos sociais, nas lutas políticas.. É o Dom Divino que nos ilumina para aceitar as verdades reveladas por Deus. Mesmo não compreendendo o Mistério, entendemos que ali está a nossa salvação, porque procede de Deus, que é infalível. O Senhor disse: “Eu lhes darei um coração capaz de me conhecerem e de entenderem que Eu sou o Senhor” (Jr 24,7).

3) Conselho: é o dom de saber discernir caminhos e opções, de saber orientar e escutar, de animar a fé e a esperança da comunidade. Só assim orientamos bem a nossa vida e a de quem pede um conselho.

4) Fortaleza: é o dom de resistir s seduções da sociedade capitalista, de ser coerente com o Evangelho, de enfrentar riscos na luta por justiça, de não temer o martírio. É esse o Dom que faltou para o Apóstolo São Pedro quando negou o Mestre, e que lhe foi dado depois pelo Espírito Santo no dia de Pentecostes. São Paulo confiava no Dom da Fortaleza. Ele disse: “Se Deus está conosco, quem será contra nós?” (Rm 8,31).

5) Ciência: é o dom de saber interpretar a Palavra de Deus, de explicar o Evangelho e a doutrina da Igreja, de fazer avançar a teologia, de traduzir em palavras o que se vive na prática. Por este Dom o Espírito Santo nos revela interiormente o pensamento de Deus sobre nós, pois “os mistérios de Deus ninguém os conhece, a não ser o Espírito Santo” ( Cor 2,10-15).

6) Piedade: é o dom de estar sempre aberto vontade de Deus, procurando agir como Jesus agiria e identificando no próximo o rosto do Cristo. É o Dom pelo qual o Espírito Santo nos dá o gosto de amar e servir a Deus com alegria. Por ser o “amor do Pai e do Filho”, o Espírito Santo nos dá o sabor das coisas de Deus. ´O Reino de Deus não consiste em comida e bebida, mas é justiça, paz e alegria no Espírito Santo´ (Rm 14,17).

7) Temor: é o dom da prudência e da humildade, de saber reconhecer os próprios limites, de não pedir ou esperar de Deus que ele faça a nossa vontade. Não quer dizer “medo de Deus”, mas medo de ofender a Deus. Sendo Ele o nosso melhor amigo, temos o receio de não lhe estarmos retribuindo o amor que lhe é devido. Mais do que temor, é respeito e estima por Deus.