Congresso discute animação bíblica da pastoral

  • por
Pe. Mauro Jose Ramos, assessor da Past Catequética de nossa Diocese participa do evento
Mais duas conferências marcaram o segundo dia do I Congresso Brasileiro de Animação Bíblica da Pastoral, que a CNBB realiza desde ontem no teatro Madre Esperança Garrido, do Colégio Santo Agostinho, em Goiânia (GO). Os temas “A pastoral na vida da Igreja” e “A Palavra de Deus é viva e eficaz” foram apresentados, respectivamente, pelo teólogo, padre Agenor Brighenti, e pelo bispo de Rondonópolis (MT), dom Juventino Kestering.Padre Agenor acentuou o momento de crise por que passa o mundo ocidental que, segundo disse, “deve-se crise da modernidade, do projeto civilizacional moderno, responsável pelas maiores conquistas para a humanidade, mas, ao mesmo tempo, pelas maiores frustrações da história”.

Para o teólogo, a saída da crise não está em ser anti-moderno ou pré-moderno; em ser pós-moderno ou em aferrar-se modernidade; mas “em dar um passo a mais dentro da modernidade, redimensionando e acrescentando novas aspirações ao seu projeto, que ainda não foi substituído por nenhum outro que o supere”.

Segundo padre Agenor, a crise da modernidade “afeta diretamente a Igreja, pois nela está também implicado o Concilio Vaticano II, dado que, entre outros, ele significou a reconciliação da Igreja com o mundo moderno, depois de cinco séculos de oposição e excomunhão em bloco”.

O teólogo apontou, como “modelos de pastoral inconseqüentes com as mudanças atuais”, a pastoral de conservação, que desconhece as mudanças; a pastoral apologista, que teme as mudanças; a pastoral secularista, que sofre com as mudanças e a pastoral liberacionista, que nega as mudanças.

De acordo com padre Agenor o novo paradigma pastoral neste tempo de mudanças deve ter como baliza uma pastoral que se desvencilhe do modelo de cristandade e que se desvencilhe do modelo de cristandade; uma pastoral de “volta s fontes” e não de “volta ao fundamento” e liberta do passado, mas guardando uma preciosa herança; uma pastoral que faça do ser humano o caminho da Igreja e que seja pautada pela gratuidade e o respeito alteridade; uma pastoral que faça do presente um tempo messiânico e que seja centrada na Palavra e animada pela Bíblia.
Dom Juventino

“Falar de ‘Pastoral na vida da Igreja: uma nova compreensão de Pastoral num mundo em mudança’ é resgatar e atualizar a dinâmica da pastoral para que ela seja ‘viva e eficaz’”, disse o bispo de Rondonópolis, dom Juventino Kestering, ao iniciar sua conferência para os 500 participantes do Congresso Brasileiro de Animação Bíblica da Pastoral.

Para o bispo, a Palavra de Deus é “viva para responder aos anseios, s buscas, s necessidades dos homens e das mulheres de hoje” e “eficaz porque o homem e a mulher modernos já não suportam algo que não tem significado e nem se sente atraído a aquilo que não é eficaz”.

Segundo dom Juventino, o primeiro passo da pastoral que se fundamenta na Palavra de Deus e seja iluminada por ela, “será conhecer a Palavra e acolhê-la”. Ele defendeu a necessidade de uma renovação pastoral para uma animação bíblica da pastoral. “Falar em renovação pastoral necessariamente exige adentrar na eclesiologia de participação, em todos os níveis; pensar em paróquias descentralizadas e missionárias, onde os leigos e as leigas, junto com seus pastores, realizam sua vocação”, explicou.

Terminadas as conferências, os congressistas foram em Romaria Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO), onde participaram da missa, com transmissão ao vivo pela Rede Vida.

CNBB