• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Histórico

ONTEM… SURGE UMA VILA

Eis como está registrado no Livro do Tombo desta Paróquia, que relata a criação do Município.

Em 1600, começa a crescer a primeira Vila nesta Caraguatatuba, quando sobreveio uma epidemia que dizimou parte dos moradores. Desanimado, o restante do povo mudou-se para Ubatuba, levando consigo o Cartório deste lugar e lá elevaram uma nova freguesia.

Passado algum tempo e de volta para cá, estabeleceram-se novamente aqui e pela Lei Provincial nº. 18 de 16 de março de 1847 a Vila de Santo Antônio de Caraguatatuba foi reconhecida Freguesia pertencendo ao Termo de São Sebastião.
Por outra Lei Provincial nº. 30 de 20 de abril de 1857, foi elevada Categoria de Município, distando quatro léguas de São Sebastião, e oito léguas de Ubatuba.

O vilarejo não tem Cadeia, nem Casa de Câmara, não tem outros edifícios. Tem do lado sul um ribeirão que passa por trás da Matriz pelo lado sul 40 a 50 braças e despeja no mar, e pelo lado norte um outro ribeirão denominado Guaxinduba, que também desemboca no mar. Suas lavouras são: cana, café, mandioca, milho e alguns legumes.

Dos arquivos da Paróquia, sabemos que Santo Antônio é o Padroeiro e que a Vila começou com a Igreja e que a cidade tem o nome de Santo Antônio de Caraguatatuba desde os primórdios.

A primeira visita pastoral conforme registro no verso da primeira página do Livro do Tombo, aconteceu no dia 20 de outubro de 1853 pelo Reverendíssimo Bispo Dom Antonio Joaquim de Melo que escreveu: “Fazemos saber que no dia 20 de outubro de 1853, visitamos pessoalmente a Igreja Matriz Santo Antônio de Caraguatatuba, em presença do Reverendíssimo Pároco Pe Manoel Antonio da Silva e o povo da mesma. Tudo achamos com muita pobreza. Determinei portanto que fosse nomeado todos os anos um Festeiro para o Padroeiro.” Na parte litúrgica, Dom Antonio Joaquim de Melo destacou a orientação dada aos adultos, catequese para as crianças e missa cantada na Festa do Padroeiro.
A Capela Mor já estava pronta e neste mesmo ano em novembro, já haviam sido construídos 33 palmos de parede lateral até a altura de 12 palmos, com 3 janelas e a porta que dá para Coro, 44 palmos de frente, na altura de 4 palmos e também 32 palmos, com altura de 12 palmos na Torre. (conforme Ofício de 22 de janeiro de 1858 da Câmara Municipal Assembléia Provincial).

Com ajuda do povo, o corpo da igreja em construção, começou a receber auxílio das autoridades. Os apelos da Câmara Provincial foram também mais freqüentes.

Em 1860 todas as paredes concluídas, prontas para receberem madeiramento para o telhado (ofício de 31 de janeiro de 1860). Atas da Sessão de Câmara de 21 de janeiro de 1862, 31 de outubro de 1862 e 11 de agosto de 1862.
Coberta a igreja, pelo ano de 1863, novos esforços do povo para que o templo fosse concluído (Ofício da Procuradoria da Câmara de 14 de fevereiro de 1863). Atas da Câmara de 15 de dezembro de 1863, 22 de fevereiro de 1864 e 08 de abril de 1864.

Nos anos de 1866 e 1867, a Vila de Santo Antônio de Caraguatatuba, tinha como vigário o Padre Manoel Esteves de Pociuncula que, com auxílio da Câmara (sessão ordinária de 05 de dezembro de 1867) restaurou o velho telhado da Capela Mor Pe. Manoel Esteves de Pociuncula em 1870 registrou no livro do Tombo nº. 01 página 32V, os óbitos, casamentos e batizados de brancos e escravos, desde 1852, com o nome de Freguesia de Santo Antônio de Caraguatatuba.
Tendo tomado posse o Reverendíssimo Pe. João Vicente Cabral, conseguiu em setembro de 1871, a nomeação de uma comissão de obras que em janeiro de 1872, apresentou orçamento de: um conto de reis para assoalho e forro da Capela Mor e Sacristia; dois contos de reis para o forro do corpo da igreja e assoalho; reboco e caiação; um conto e quinhentos reis para o frontispício (fachada principal); quatro contos de reis para a torre.

Os pedidos s autoridades eram via Câmara Municipal para a Assembléia Provincial de São Paulo. O povo ajudava com dinheiro e material.

Na Lei do Orçamento de 1875 foram votados dois contos de reis em favor da Matriz para reparos e paramentos. E concluída a obra na Matriz passou-se a cuidar de suas alfaias.
Em 1877, falava-se de novo em reforma do telhado, frontispício e assoalho. E nem se passava ainda uma década, o templo estava sem condições, devendo o vigário celebrar numa casa particular.
Eis o que diz o requerimento do Pe João Vicente Cabral de 11 de março de 1886, endereçado ao Reverendíssimo Sr. Bispo Dom Lino Deodato Rodrigues Carvalho “… Achando-se a respectiva Matriz inteiramente arruinada e imprestável, precisando de reconstrução e não de uma nova, não tem o pároco onde celebrar o Santo Sacrifício da Missa e exercer outros atos paroquiais e atos religiosos, em cuja falta muito sofre o povo, convindo por isso remediar tais inconvenientes, para que o Sr. Pároco obtenha uma casa em condições decentes, para nela provisoriamente celebrar, administrar os sacramentos e exercer outros atos religiosos, até que se consiga a reconstrução da Matriz pelo que o Sr. Pároco solicita de Vossa Excia Revma., licença a fim de se utilizar a dita casa para o objeto requerido.” São Paulo, 11 de março de 1886 (Livro do Tombo 1 pág. 91)

História de Nossa Paróquia – Como tudo começou…

Pertencente Comarca de São Sebastião, a Vila de Santo Antônio de Caraguatatuba consistia numa praça com duas ruas e um beco. Se contarmos da data de fundação ocorrida entre 1663/1664 (onde foi realizada a parada), foram encontradas casas de escravos e índios, a Capela de Santo Antônio com oratório, já se passaram mais de 344 anos. Já nessa época, surgia um povo forte, solidário, caridoso, altruísta e cheio de determinação. Decorridos mais de 116 anos, foi dada a ordem de erigir aqui, uma cidade com todos os prédios necessários e uma igreja, que na verdade já existia.

Em 1847, o Conselho de Sua Majestade, decretou uma lei elevando a Capela de Santo Antônio de Caraguatatuba.
Dez anos depois, a Vila de Santo Antônio de Caraguatatuba, foi elevada a Município, com promulgação em 20 de abril de 1857 (data que se comemora a Emancipação Político Administrativa da cidade).

Segundo relatos documentados pertencentes Igreja, a Matriz Santo Antônio já pertenceu Arquidiocese de São Paulo, Diocese de Taubaté, Diocese de Santos e tendo a frente Dom José Carlos Castanho de Almeida da Região Episcopal do Litoral Norte em 1999 e atualmente Diocese de Caraguatatuba.

Desde a sua criação, a Igreja Matriz Santo Antônio de Caraguatatuba, teve um forte envolvimento participativo direto na construção e história da cidade, como na criação do Cemitério Municipal, na Santa Casa de Misericórdia “Casa de Saúde Stella Maris”, Asilo Vila Vicentina, Fórum, Asilo Santo Antônio (hoje Pró+Vida) e na construção de muitas capelas.
Como mãe, gerou as Paróquias São João Batista em 1983, através de luta de Pe André Afonso Maria Butti, no Bairro Poiares; Igreja Divino Espírito Santo com esforços de Pe Miguel Rosseto no Bairro Indaiá e tornada Catedral Divino Espírito Santo com a criação da Diocese em 1º de maio de 1999.

Um pouquinho da vida de Santo Antônio

“Do mesmo modo que o sol é fonte de luz e calor, os testemunhos de Cristo devem ser a fonte da qual brota a vida e a doutrina em benefício dos outros. Por não ter conhecido a redenção ou tê-la recusado, nosso mundo continua a sofrer. Por isso tem imensa necessidade do calor de Deus que, iluminando, vivifica. Nosso mundo está doente, mas não encontra remédio para seus males; está angustiado, porque se dá conta da inutilidade dos bens terrenos, mas não aprendeu a ter esperança nos bens eternos” (Santo Antônio).

Antônio nasceu em Lisboa, Portugal, em 15 de agosto de 1195, filho de Martinho de Bulhões e Maria Teresa de Taveira. Seus pais eram descendentes da antiga nobreza de Portugal e deram-lhe o nome de Fernando de Bulhões.
Antônio também não fugia regra e, segundo seu biógrafo, era alegre, de estatura acima da média e chegada a uma boa conversa.

Aos 14 anos foi para o Colégio da Catedral de Lisboa para aprender as Sagradas Letras a aprender a ler e escrever.
Aos 15 anos passa a freqüentar o Mosteiro São Vicente de Fora.
Aos 17 anos (1212) transfere-se para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Oito anos passados, fundamentais para sua formação, em 1220, com 25 anos de idade, Fernando é ordenado sacerdote, em Coimbra e ali exerce o seu ministério.

Conheceu 6 frades franciscanos que partiam missionários para o Marrocos (África), para cumprirem a missão de anunciar Cristo aos seguidores de Maomé. Quando proclamam que este não passa de um falso profeta, despertam a ira dos moradores e do califa da cidade, Abu Jacob, que os executa em 16 de janeiro de 1220. Os restos mortais são transportados para Coimbra e recebidos e sepultados triunfalmente.

Já admirava os franciscanos e o martírio dos frades é para Antônio, uma revelação.

Revelaria o Evangelho aos pagãos, mesmo com o risco de própria vida, chegou a viajar, mas uma tempestade obrigou o navio a atracar nas costas da Sicília (Itália) e teve que renunciar por motivo de saúde. Foi então recolhido pelos frades que o levaram para a cidade de Messina e cuidaram de sua saúde. A partir daí, permanece no país até sua morte.

Dia após dia, Antônio percorre cada uma das 55 igrejas da cidade e dos arredores para pregar, ministrar sacramentos, receber pessoas, fazer confissões. Esta pregação catequese foi o início de uma importante evangelização. Na igreja de Penedo (Lisboa) há o registro em azulejaria do milagre dos peixes, um dos mais conhecidos.

Durante uma pregação em Rimini (Itália), os hereges além de não quererem ouvir o santo, até viravam-lhe as costas. Santo Antônio dirigiu-se aos peixes e milhares deles colocaram a cabeça fora d’água para escutá-lo. Os hereges ficaram impressionados com o que viram.

Em fins de maio de 1231, com a saúde abalada, retira-se para o Castelo de Camposampiero, próximo de Pádua, na Itália.
Depois de cantar o hino, parece elevado em êxtase e, quando o frade que o assiste pergunta-lhe o que estava vendo, responde: “Vejo o Senhor”.

Com as últimas forças que lhe restam, entoa os sete salmos penitenciais juntamente com os frades que o assistem. Depois, calmamente morre, com apenas 36 anos. Era o dia 13 de junho de 1231. sua canonização ocorreu em 30 de maio de 1232.

Festejando nosso Padroeiro

Fé, devoção, fraternidade e muita alegria, marcam a Festa da Paróquia Santo Antônio de Caraguatatuba.
Em meados de 1663-1665, foi criada a Vila de Santo Antônio de Caraguatatuba. De lá para cá, cada vez mais, o mês de junho vem sendo festejado e consagrado pelo povo da cidade como gratidão a Santo Antônio nosso padroeiro – Padroeiro de Caraguatatuba. Conforme está registrado no Livro do Tombo 1, verso da primeira página, Dom Antônio Joaquim de Melo, bispo da Diocese de São Paulo, em visita pastoral em 20 de outubro de 1853, determinou que fosse nomeado, todos os anos, um festeiro para o padroeiro. E com as graças de Deus e as bênçãos de Santo Antônio, nosso querido padroeiro, o povo de Caraguatatuba realizou neste ano (junho de 2007) a 154º (centésima qüinquagésima quarta) Festa Religiosa e Social, em sua homenagem, contadas a partir da ordem de Dom Antônio Joaquim de Melo.

Peregrinação da Imagem de Santo Antônio

Idealizada pelo então pároco Pe Jacob (1997) a peregrinação da Imagem de Santo Antônio pelas paróquias e comunidades da nossa cidade, vem se tornando indispensável nos festejos que antecedem a Trezena Litúrgica de Santo Antônio. Saindo da matriz a imagem percorre cada dia em um lugar, acompanhada de muitos fogos e devotos. Hoje, a peregrinação começa cinco dias antes da Trezena, pois são somente as comunidades pertencentes Paróquia que recebem a visita da Imagem de Santo Antônio.

Trezena Litúrgica em honra a Santo Antônio

Com início ainda no mês de maio até 12 de junho, realiza-se a Trezena Litúrgica fazendo parte dos festejos em louvor a Santo Antônio.

Até a década de 1980, era costume cada dia da Trezena ser da responsabilidade de um segmento da sociedade como: famílias tradicionais, comerciantes, escolas, entidades beneficentes, pastorais, etc. A participação do povo sempre foi boa. Com a implantação da peregrinação da imagem de Santo Antônio, é feita missa de abertura, onde é recebida a imagem de Santo Antônio que volta da peregrinação, acompanhado dos santos padroeiros das comunidades que visitou. A partir daí também, passou a fazer parte dos festejos, o sorteio de uma pequena imagem de Santo Antônio, todos os dias da Trezena, dentre os presentes.

Nas missas da Trezena, os temas versam sempre sobre fatos marcantes da vida de Santo Antônio e alguns de seus sermões, pregações e conselhos, tão atuais como se fosse hoje.

Muitos sacerdotes são convidados a participar das celebrações. Também, todos os dias após a missa temos a benção e distribuição dos pães, que em sua grande parte são oferta do povo, ficando para a igreja, completar o que faltar.
Volta do fincamento do Mastro de Santo Antônio 1997/1998.

Santo Antônio no mar

“A vida cristã pode ser comparada ao arco-íris, que se estende majestoso de uma ponta até outra do horizonte; várias são as cores, mas predomina a vermelha cor-de-fogo e a azul celeste. A primeira é a chama do amor de Deus. A segunda é a ternura do amor fraterno”.

Foi com esse espírito que aconteceu a procissão marítima de Santo Antônio. Ao som de flauta doce das crianças do professor Lourival, da alegria das crianças da Infância Missionária, dos coroinhas, dos paroquianos e do povo em geral, com a benção de Pe Stanislaw e o colorido de muitos barcos, canoas, lanchas e escunas, saiu ao mar de Massaguaçu a procissão. O balanço das águas, a saudação dos golfinhos, a música de Roberto Carlos e Pe Marcelo Rossi, contagiava o coração de todos. Ao chegar no Pier do Camaroeiro, a devoção ao padroeiro da cidade foi emocionante. O barulho das buzinas, os fogos, a reverência ao santo, a parada dos comerciantes para saudá-lo, agitou a todos e a alegria chegou ao máximo quando a imagem chegou na praça da matriz, no carro do corpo de bombeiros. Fiéis esperavam com palmas e vivas e o coração transbordante, comovidos.

Casamentos

O curso de preparação para o matrimônio acontece nas dependências da matriz. É de responsabilidade da Equipe de Noivos, durante anos coordenada pelo casal Leni e Nilton. Hoje é de responsabilidade da pastoral familiar, sob a coordenação do casal Marli e Paulinho, que fazem todos os preparativos necessários, sempre com total apoio e orientação do pároco.

Casamentos a La Santo Antônio

Casamento Civil Comunitário: Um trabalho desenvolvido com amor e dedicação pelos funcionários do Cartório de Registro Civil e a Pastoral Familiar para os casais que desejam regularizar sua situação civil. Acontece somente por ocasião da Festa de Santo Antônio.

Casamento Religioso Comunitário: Fazendo parte dos festejos de Santo Antônio, acontece o casamento comunitário religioso, sempre com mais de 50 casais que é preparado algumas semanas antes, com curso onde há palestras, brincadeiras, troca de experiências, lanche, almoço. Os casais passam um dia descontraído. No dia 13 de junho, dia de Santo Antônio é realizado o casamento religioso. Há grande emoção nas senhoras vestidas de noiva. Os casamentos são realizados por todos os padres que vêem para a festa como: Dom Antônio Maria Mucciolo, Dom Antônio de Miranda, Dom David Picão, Dom Fernando Mason, Dom Altieri, padres de Ubatuba, São Sebastião e até Ilhabela (Pe Vilson), mais os padres das outras paróquias da cidade.

Subida ao Morro de Santo Antônio

Fazemos a caminhada penitencial subindo a pé o Morro de Santo Antônio. São 45 minutos até o topo, com trechos s vezes íngreme. Fazem parte da caminhada, pessoas de todas as idades, desde crianças de colo e anciãos. Muitas pessoas aguardem pelo caminho e juntando-se a caminhada que sai da Matriz, após a benção do pároco que leva consigo Santo Antônio, formando uma grande massa. Também há os “jipeiros”, rapazes que fazem o esporte em trilhas colocam seus jipes disposição, fazendo várias viagens levando os pequenos e alguns idosos. A Prefeitura Municipal cede condução para esse fim e para levar todo o aparato litúrgico necessário para a celebração. No alto do Morro, é celebrada a Santa Missa, tendo como pano de fundo, a belíssima baia da praia do centro com que Deus presenteou os moradores da Vila de Santo Antônio de Caraguatatuba. Após a missa a Prefeitura Municipal oferece água, frutas variadas e pronto socorro enquanto as pessoas assistem extasiadas a descida de Santo Antônio numa Asa Delta pilotada por José Mário.

Procissão de Santo Antônio

Tudo é motivo de festa. Sempre temos, ou junto, ou um pouco antes, a belíssima Procissão de Corpus Christi. O Cristo Eucarístico, que é levado pelas ruas centrais, abrindo o caminho que dias depois passará a imagem de nosso padroeiro. Numa dessas festas, registramos as palavras de um jovem sacerdote, que acompanhou os festejos, fazendo a animação: “Mais uma vez o Evangelho se realiza no meio de nós, todo discípulo segue o seu mestre, Jesus caminhava a nossa frente, os tapetes preparados para Ele, o Nosso Senhor, e nós seus discípulos, o seguíamos, com a presença de um bispo chamado Antônio, Dom Antônio de Miranda, bispo emérito de Taubaté, que com seu ardor missionário vivo da Eucaristia. Mas Santo Antônio nos reservava outro Antônio, Dom Antônio Maria Mucciolo, arcebispo emérito de Botucatu, presença viva do Apóstolo de Cristo que com seu fervor, celebrou os mais de 100 casamentos, junto com os padres da diocese e depois a missa em honra de Santo Antônio, mas antes, conseguimos marcar mais uma vez a nossa cidade com a caminhada de um povo ou como a igreja gosta de dizer, fizemos a “procissão em honra do nosso querido Santo Antônio”. Conta uma história antiga que o Santo Antônio descia do seu altar para caminhar pela cidade de Caraguatatuba noite. Naquela noite ele não caminhou sozinho, caminhou com o seu povo, fiéis não só da cidade, ma de vários lugares da nossa região. É assim com Santo Antônio um dos mais populares santos da nossa fé católica. Tudo estava preparado. A imagem bem ornamentada, o povo, e assim iniciamos a nossa procissão, cantando e louvando o Deus revelado em Santo Antônio; rezamos pelo poder público ao passar pelas imediações da Prefeitura, rezamos pelos doentes, pelas famílias, pelos jovens, idosos, crianças, pelos comerciantes, pelos padres, em particular pela recuperação de Pe Jacob e pelas vocações sacerdotais. Todos fizeram parte da nossa procissão-oração e até rezamos pela comunhão entre as igrejas cristãs, quando passando em frente a uma delas, cantávamos que somos Povo de Deus. A festa era de Santo Antônio. Os bispos que vieram celebrar e prestigiar nossas liturgias chamavam-se Antônio. Ficamos sabendo por Dom Antônio Maria Mucciolo que o nome Antônio significa “Flor do Campo”. Que Santo Antônio continue florescendo esperança no coração de cada cidadão Caraguatatubense, pois somos este povo a caminho, em busca de pão, paz e fé. Creio que naquela noite, o dia se encerrou com mais esperança no coração de todos os que ali estavam e por aqueles que rezávamos e Santo Antônio mais uma vez pôde caminhar e abençoar a sua cidade” (Pe Alessandro Henrique Coelho – Reitor do Seminário Diocesano Beato Anchieta)

Após a procissão, temos a Praça da Matriz repleta de pessoas, como se fosse o firmamento, com suas velas coloridas e acesas a piscar, ansiosas pela missa campal. Após a missa é feita a bênção e distribuição dos pães, dentro da igreja, muito bem organizada, evitando tumultos e transtornos, que ocorrem nas grandes multidões e todos são atendidos a contento numa total harmonia.

Festa Social de Santo Antônio

Quermesse – A festa social é movida por um bingo de valiosos prêmios, inclusive um automóvel zero km, cozinha e várias barracas que oferecem comidas típicas, que muito agradam os paroquianos e visitantes e cuja renda é toda revertida em benfeitorias da igreja e no amparo aos irmãos carentes. É costume nesse período fazer a campanha do quilo, conseguindo até mais de 2.000 quilos de alimento não perecível. Senhoras da comunidade fazem questão de se revezarem nas horas a fio das tardes em que enrolam o tradicional e famoso bolinho caipira, muitas vezes com o sorriso que escondem o cansaço, sob a direção de dona Jane, tudo para o sucesso e brilhantismo da festa. Já chegamos a fritar 5.532 bolinhos caipiras durante a trezena. Todas as pastorais colaboram, trabalhando no bingo, na venda de cartelas e na cozinha para atender o balcão. Tornou-se também costume o “Bolo de Santo Antônio”, iniciado pela Equipe de Eventos, através de dona Inês e dona Jane que juntamente com a equipe, confeccionaram 500 pedaços de bolo, que foram acondicionados em uma grande caixa de isopor, que era a réplica da Matriz Santo Antônio. Esse bolo após ter sido bento no dia da festa, foi vendido a preço simbólico. Foi um sucesso. No ano seguinte, repetiram o feito e como a recém criada Pastoral da Sobriedade estivesse necessitando de recursos financeiros, essa incumbência foi gentilmente cedida Pastoral e no ano seguinte, através de dona Vânia foi confeccionado no dia 12 de junho o “Bolo dos Namorados”, reforçando a crença do povo que Santo Antônio é o “santo casamenteiro”.

Que Santo Antônio, exemplo de vida e santidade, continue a abençoar e a interceder por todos os devotos.
Santo Antônio rogai por nós!

Oração pelos Sacerdotes

Deus Todo Poderoso e Eterno, junto com Vosso Filho Jesus Cristo, no Espírito Santo, volvei um olhar favorável sobre vossos sacerdotes.
Reavivai neles, sem cessar, a graça de sua ordenação.
Transformai seus corações em conformidade com o Sagrado Coração do Vosso Filho Jesus, Eterno e Sumo Sacerdote.
Que eles cresçam em fidelidade sua vocação, de modo que nada possa ofuscá-la.
Oh! Jesus, eu vos suplico pelos Vossos Sacerdotes fiéis e fervorosos, pelos sacerdotes que trabalham aqui na salvação de nossas almas e pelos missionários em terras longíquas. Pelos Vossos Sacerdotes assaltados pela tentação, pelo tédio e pela aflição.
Pelos Vossos Sacerdotes jovens e pelos Vossos Sacerdotes idosos, pelos Vossos Sacerdotes enfermos e pelos Vossos Sacerdotes agonizantes, enfim pelas almas dos Vossos Sacerdotes que estão no purgatório.
E, muito particularmente, eu Vos recomendo os sacerdotes que me são mais caros: o Sacerdote que me batizou, os Sacerdotes que me absolveram de meus pecados, os Sacerdotes a cujas Santas Missas assisti e os que me deram a Santa Comunhão, os Sacerdotes que me guiaram e me instruíram ou que me estimularam com seu auxilio e conselhos; enfim, todos os sacerdotes com os quais tenho dívida de gratidão.
Oh! Jesus. guardai-os todos bem perto de Vosso Coração e concedei-lhes a plenitude das Vossas Bênçãos no tempo e na eternidade. Assim seja!

Padres, Vigários ou Coadjutores que trabalharam na Matriz Santo Antônio, em Caraguatatuba.

A – Diocese de São Paulo
1 – Caraguatatuba é elevada a Freguesia em 16 de março de 1847

  • Pe José Bueno da Cunha – 1849
  • Pe Manoel Antônio da Silva – 1850
  • Pe José Antônio Pinto – 1853

2 – Caraguatatuba é elevada a Vila em 20 de abril de 1857

  • Pe Joaquim Esteves de Matos – 1858
  • Frei Miguel de Santana Rita – 1863
  • Frei Manoel Esteves de Porciúncula – 25/10/1863
  • Pe João Vicente Cabral – 1871
  • Pe Vicente Pires da Mota – 1874
  • Frei Cândido – 1876
  • Pe Antônio Ribas Sandim – 1879
  • Pe Antônio de Jesus Colares – 1880
  • Pe José Maria Brandi – 12 de julho de 1896
  • Pe Vicente Terranova – 24 de julho de 1898
  • Pe Jerônimo Migliani – 1899
  • Pe Ambrosio Zavatano – 08 de outubro de 1899
  • Pe Saturio Martins – 1900
  • Frei Luiz Milani Vicente – 1901
  • Pe Mariano Merchan – 1904
  • Frei Pedro Tierso – 25 de novembro de 1906
  • Pe Gastão Moraes – 12 de julho de 1907
  • Pe Jaime Garzaro – 1909

*Fundação do Apostolado da Oração – 17 de junho de 1910

B – Diocese de Taubaté

  • Pe Felipe Alonso – 1911
  • Pe Felix D’Angelo – 27 de abril de 1912
  • Pe João Frutuoso da Costa – 1912
  • Pe Antão Jorge C.S.S.R – 1919
  • Pe Pascoal Reale – 1920
  • Pe Manoel Gomes Leite – 1920
  • Pe Francisco Lino dos Passos – 22 de março de 1922

C – Diocese de Santos

  • Frei Constancio Lokkers O. Carm – 1925
  • Pe Izidoro Ermeti – 1926
  • Frei Vitoriano Bodra – 1931
  • Pe Agenor Maria Santana – 1932
  • Frei Teófilo Fraile – 1934

*Criação da Pia União Filhas de Maria – 03 de setembro de 1936

3 – Caraguatatuba é elevada cidade em 30 de novembro de 1938

  • Frei Luis Wands – 29 de maio de 1938
  • Pe Américo Andriozi – 1939
  • Frei Edmundo Pishoczer – 1940
  • Frei Menendo Kamps – 1940
  • Frei Columbano Gilbert – 18 de fevereiro de 1941
  • Frei Ivo Westerfeld – 1941
  • Frei Crescêncio Gebert – 1941
  • Frei Tarcísio Shresckemberg – 1942
  • Frei Osmar Dirks – 1942
  • Frei Pascoal Kneipp – 1942
  • Frei Sérgio Hilleshmein – 1944
  • Frei Antônio Zimermann – 1945
  • Frei João Batista Kneipp – 1945
  • Frei Pacífico Wagner – 1946

* Reforma da Matriz, torre e escadaria – 1948.

* Fundação da Congregação Mariana – 11 de maio de 1949

* Início da Construção da Santa Casa – 1949

* Construção da Casa Paroquial – 22 de julho de 1951

  • Pe João Balestieri – 08 de setembro de 1953
  • Pe Antônio Pedron – 27 de janeiro de 1954
  • Pe Joaquim Clementino Leite – 15 de janeiro de 1956
  • Pe José Almeida dos Santos – 01 de janeiro de 1959 a agosto de 1968
  • Cônego Gabriel Hiran – setembro de 1968 a julho de 1972
  • Pe Miguel Shurmans – agosto a setembro de 1972
  • Frei José Bertazzo e Frei Benedito Balio Prado – setembro de 1972 a janeiro de 1974
  • Frei Geraldo Draprile e Frei Vitório Infantino – janeiro a julho de 1974
  • Pe André Afonso Maria Butti – agosto de 1974 a maio de 1983

D – Criada a Região Episcopal do Litoral Norte

  • Dom José Carlos Castanho de Almeida – 25 de outubro de 1982 a 07 de outubro de 1987.
  • Pe Élcio Antonio Ramos – maio de 1983 a julho de 1987.
  • Pe Caetano Rizzi – julho de 1987 a dezembro de 1989.

* Responsável pela Região Episcopal com a saída de Dom José Carlos.

* Reforma total da rede elétrica; igreja, casa paroquial, secretaria, salão paroquial.

* Chegada de Pe Miguel Rosseto, vindo de Joinvile para residir na casa da Cúria e nomeado Vigário Episcopal em 01 de maio de 1988.

* Reforma no serviço de som da igreja em janeiro de 1989.

* É nomeado Pe Merquides Reis Andrade de Souza como Vigário Paroquial, mas fica somente um mês.

* A Rádio Oceânica transmite a Santa Missa pelo rádio em 26 de março de 1989, domingo de Páscoa s 8:00 horas.

* Chega Pe Jacob Puthenkandam em 28 de novembro de 1989 como vigário Paroquial.

  • Pe Miguel Rosseto – dezembro de 1989 a fevereiro de 1994.

* Aprovado o projeto de reforma e ampliação da matriz em outubro de 1990.

* Inicia o trabalho de terraplenagem, máquinas da SUDELPA e caminhões particulares em 02 de dezembro de 1990.

* Março de 1991 – A obra da igreja já está quase concluída. O nicho de Santo Antônio já está no lugar. Domingo de Ramos foi marcado com a participação da juventude de toda a região que celebrou a Jornada Mundial da Juventude. A caminhada dos jovens saiu da Paróquia São João Batista em direção a Paróquia Santo Antônio e contou com mais de 3.000 pessoas. A celebração eucarística foi celebrada pela primeira vez na nova igreja. Na sexta-feira Santa houve a procissão da Cruz (feita pelo artesão Luciano, da cidade, feita com uma madeira retirada das paredes de pedra da igreja que foi demolida para ampliação e outra madeira rodada da serra durante a catástrofe de 1967 que abalou a cidade), que saiu da Paróquia São João Batista no Poiares. Pesava mais de 350 quilos e carregada pelos homens, num trajeto de mais de 3 quilômetros, num clima de muita oração e recolhimento. A chegada foi um grande momento, a emoção tomou conta de todos quando tomou o seu lugar no presbitério da Matriz Santo Antônio. Igualmente estiveram presentes mais de 3.000 pessoas. Na Vigília Pascal, a Pia Batismal foi usada pela primeira vez na cerimônia da Ressurreição de Jesus. A partir de 1º de maio as celebrações litúrgicas voltam a ser realizadas na nova igreja, que já tem o forro concluído, assim como o piso e a pintura. O painel da Ceia Eucarística na Capela do S.S. e os 4 painéis na nave central retratando a vida de Santo Antônio, propiciam um ambiente de recolhimento. O mês de Maria é marcado com o terço diário, antes da missa e entronizada a imagem de N.S. das Graças com 3 metros de altura (quebrou-se mais tarde).

* 13 de junho de 1991 – Dom David Picão, juntamente com os padres Miguel Rosseto, Pe Luiz Carlos Passos, Pe Porfírio, Pe João Antunes, Pe Miguel (Ilha Bela), Frei José, Frei Raul, Frei Ismael, Frei Angélico, Pe Luiz Tomazini, Pe André, Pe José, Monsenhor Joaquim, Pe Nivaldo, Pe Ricardo, Monsenhor Benedito, Pe Élcio, deu a benção na Pia Batismal e Paredes da Igreja. Contou com presença de mais de 2.000 pessoas.

* Outubro de 1991 – Primeiros contatos para a construção do Centro de formação e da Igreja do Bairro Indaiá. Os padres do Litoral em união com o Sr. Bispo aprovam o projeto mas não se entusiasmam em ajudar.

* Novembro de 1991 – Início dos trabalhos de sondagem e terraplenagem.

*Agosto de 1992 – Inauguração da Capela Sagrado Coração no Asilo Vila Vicentina.
Começam as escavações e alicerces na Igreja do Indaiá e Centro de Formação Pastoral.
Pe Miguel acolhe o bispo italiano Dom Pietro Giochetti e padres contemporâneos que realizam um encontro para entregar recursos financeiros para as obras e de cerrar a placa fixada no prédio do Centro de Formação para recordar a participação da Diocese de Pinerolo (Itália) e da Paróquia Santo Antônio para as obras da futura Diocese de Caraguatatuba.

* 1992 – Economicamente um ano difícil, pois todos os recursos foram destinados para o Centro de Formação e Igreja do Indaiá.

* Março de 1993 – Domingo de Ramos – É inaugurada a Igreja do Indaiá com administração própria.

* Maio de 1993 – A Comunidade prepara-se com entusiasmo para celebrar a Festa do Divino Espírito Santo. Logo após s organizou a Festa de Santo Antônio na Matriz (Pe Miguel).

* Agosto de 1993 – Organiza-se a escritura do terreno para a Capela da Ponte Seca.

* Dezembro de 1993 – Fica pronta a cerca de proteção e portões em material galvanizado, que protege a área do lado de fora da Igreja Matriz tanto na Praça Dr. Cândido Mota como na Rua São Benedito.

* Fevereiro de 1994 – Chega Pe Nino Carta da Diocese de Rio Preto, sem função definida e que vai aos poucos tomando conhecimento do ambiente e estilo pastoral.

* Marco de 1994 – Chega Pe João Luis Mancini que assume a função de Capelão do Hospital Stella Maris e vigário Paroquial da Paróquia Santo Antônio.

  • Pe Luis Carlos Passos – 1990 a 25 de fevereiro de 1994.
  • Pe Luis deixa definitivamente a Paróquia a seu pedido que é acolhido pelo Sr. Bispo.
  • Pe Antônio Baldan Casal – março de 1994.
  • Pe Elmiran Ferreira dos Santos – fevereiro a setembro de 1994.
  • Pe José Brahmakulam – 15 de abril de 1994 a 16 de agosto de 1994 – Nomeado administrador Paroquial da Matriz Santo Antônio.
  • Pe João Chungath – 18 de agosto de 1994 a 18 de agosto de 1998 – Melhorias na Capela do S.S., compra do novo Sacrário, colocação de longas cortinas como biombos. Aquisição da mesa da celebração (talhada mão por um artesão de Passa Quatro).
  • Pe Jacob Puthenkandam – 19 de abril de 1998 a 19 de fevereiro de 2005.

* 17 de maio de 1998 – Criação da Infância Missionária – COMIPA.

* Nova diretoria do Conselho de Assuntos Econômicos – 09 de setembro de 1998:

  • Presidente: Pe Jacob
  • Vice Presidente: Vantuilde Ferreira
  • Tesoureiro: Maria de Fátima França Santana
  • Secretária: Carmem Silvia Braga Dainese
  • Membros: Mario Penteado, Antônio Carlos Fonseca Costa, Marina Barroso de Oliveira

* 16 de fevereiro de 1999 – Reforma da Cozinha e Salão do Bingo com troca do piso e forro.

E – Diocese de Caraguatatuba – 05 de março de 1999

* Março de 1999

  • Via Sacra encenada, saindo da Capela São Pedro no Bairro Ipiranga para a Matriz
  • Pintura externa da Matriz.
  • Festa Social da Santo Antônio teve os 12 primeiros dias no salão do bingo e de 13 de junho em diante até julho, na Praça de Eventos.

* 12 de abril de 1999 – Reforma e ampliação da Casa Paroquial.

* 01 de maio de 1999 – Chegada da Relíquia de Santo Antônio, permanecendo até as 14:00 h do dia de 02 de maio de 1999. Transportada no carro do Corpo de Bombeiros com escolta policial, numa grande carreata, chegou na Matriz Santo Antônio. Foi elevada para a Missa de Sagração do Bispo Dom Frei Gonçalves. Durante o tempo em que permaneceu na Matriz, teve visitação do povo todo o tempo, com missa de 2 em 2 horas e bênção e distribuição do pão de Santo Antônio. Um helicóptero levou-a de volta a cidade de Santos. Veio acompanhada de 5 Freis e 1 Provincial.

* 01 de maio de 1999 – Sagração do Bispo Dom Fernando Mason.

* 22 de maio de 1999 – A peregrinação da imagem de Santo Antônio começa no Bairro Tabatinga seguindo Tourinhos, Massaguaçu, Jetuba, Olaria, Casa Branca, Canta Galo, Martin de Sá, Stella Maris e Ipiranga.

* 05 de junho de 1999 – As entidades AA, ALANON, NA, AACC que ocupam salas nas dependências da Matriz, mudarão para a Rua Santos Dumont nº 120, propriedade da Paróquia Santo Antônio, ficando incumbidos de pagar água, luz e impostos.

* 13 de junho de 1999 – Procissão de Santo Antônio com grande número de pessoas em seguida Missa Campal na Praça de Eventos.

* 14 de julho de 1999 – Comprado terreno de 1200 m² para a Comunidade de Martin de Sá.
* Julho de 1999 – Doação de R$ 5.000,00 para a construção da residência do Bispo.

* 02 de agosto de 1999 – Compra de outro terreno para a Comunidade Martin de Sá.

* Agosto de 1999 – Compra do terreno para a Comunidade Canta Galo.

* Agosto de 1999 – Informatização da Secretaria Paroquial.

* Dezembro de 1999 – É criada na Matriz a Escola Paroquial de Teologia com duração de 3 anos ou 6 semestres. Os professores são Pe Jacob e a religiosa da Casa Stella Maris Irmã Maria do Carmo, as secretárias Maria Aparecida Viana e Dorsélia, com início em 13 de março de 2000 até junho e de agosto a novembro.

JUBILAEUM AD 2000 – JESUS CRISTO: ONTEM, HOJE E SEMPRE

* 08 de abril de 2000 – Aquisição da sala de jantar e altar da Capela da residência do bispo

* 15 de abril de 2000 – Ordenação Sacerdotal de Pe Marcos Vinicius Rosa. Reza do Terço nos 3 dias que antecedem nesta intenção com organização da Equipe de Liturgia (Jane, Júlia, Maria Aparecida, Maria de Fátima, Ivone, Alice Portuguesa, Inês coordenadora).

* 25 de abril de 2000 – Chegada de Frei Adelino Barcellos filho CMCP.

* 15 de maio de 2000 – Comprados bancos novos para a Matriz e os velhos são doados para as comunidades.

* 15 de maio de 2000 – O informativo paroquial começa a circular com o nome “O Lírio” e não terá propagandas nem patrocínios.

* 28 de setembro de 2000 – Frei Adelino volta para sua comunidade após sua ordenação diaconal.

* 28 de setembro de 2000 – Chegada de Frei Tarcisio que será o Vigário Paroquial e responsável pelo setor Massaguaçu a Maranduba.
* 19 de outubro de 2000 – Parceria entre nosso bispo/Catedral Divino Espírito Santo e a Matriz Santo Antônio no bingo, por estar a primeira em situação financeira difícil, até o carnaval de 2001.

* Outubro de 2000 – Ação entre Amigos (Celta 0 km, 1 Computador, 1 TV 29’, 1 Vídeo Casset) em, prol da Igreja Santa Terezinha e correrá pela Loteria Federal do Carnaval.

* Outubro de 2000 – A Matriz Santo Antônio acolhe Cônego Porfírio, que se aposenta, mas auxilia de forma dinâmica o pároco. Falece em 20 de abril de 2004 de infarto fulminante do miocárdio, com 34 anos de sacerdócio.

* Outubro de 2000 – As irmãs Catequistas, responsáveis pela Capela São Pedro no Bairro Ipiranga, mudam-se de residência e ficam pertencendo a Paróquia Divino Espírito Santo.

* 21 de dezembro de 2000 – Nova Diretoria do Conselho de Assuntos Econômicos:

  • Presidente: Pe Jacob
  • Vice Presidente: Antonio Carlos Pavinatto Junior
  • Tesoureiro: Benedito Aguiar Cruz
  • Secretário: Sebastião Paulo Ferreira
  • Membros: Salete Aparecida do Nascimento Sessenta, Jane Maria Gimenez, Paulo Malta de Carvalho (coordenador de pastorais)

* 01 de fevereiro de 2001 – Pe Merquides Reis Andrade de Souza é nomeado pelo bispo, Vigário Paroquial da Matriz Santo Antônio e fica até outubro de 2002.

* 01 de fevereiro de 2001 – Diácono Paulo Sérgio Teixeira é nomeado auxiliar da Paróquia Santo Antônio.

* 01 de fevereiro de 2001 – Colocação de janelas de alumínio na Torre da Matriz Santo Antônio.

* 15 de fevereiro de 2001 – Subsídios para professores interessados na Pastoral da Educação.

* 15 de fevereiro de 2001 – Prioridade da Diocese “Missões Populares” Projeto SINM com curso de formação.

* 07 de março de 2001 – Início do 2º ano da Escola Paroquial de Teologia.

* Março de 2001 – De iniciativa do Apostolado da Oração e autorização do pároco toda 1º quinta-feira do mês adoração do S.S. Paroquial s 15:00 horas.

* 08 de março de 2001 – Troca do forro em duas cores marrom e branco, pintura interna e externa da Matriz, salão paroquial, salão do bingo e muros que circundam a Matriz.

* 18 de março de 2001 – Participação na Paróquia São João Batista no 1º Encontro Diocesano de Formação, para capacitação nas Missões Populares.

* 25 de março de 2001 – Participação na Paróquia Divino Espírito Santo no curso de Formação de Líderes do Projeto SINM.

* 06 de agosto de 2001 – As Comunidades Ponte Seca e Rio do Ouro passam a pertencer a Paróquia Santo Antônio totalizando onze comunidades.

* 21 de fevereiro de 2002 – Construção das salas 2º pavimento em cima dos box.

* 21 de fevereiro de 2002 – Campanha do piso da igreja e apresentação do projeto para o presbitério, Capela do S.S. e nave da igreja em granito cinza e marrom. Presbitério fica 0,50 cm mais alto.

* Proposta de reforma da entrada da igreja e retirada da laje da segunda porta que prejudica a estética.

* Recrutamento de pessoas interessadas em dar aulas de religião nas escolas (ecumênica).

* 09 de abril de 2002 – Deixam de pertencer a Paróquia Santo Antônio, as comunidades Tabatinga, Tourinhos, Jetuba que passam a formar a quase Paróquia Nossa Senhora da Visitação junto com Massaguaçu.

* Abril de 2002 – Nasce a Pastoral Fé e Política com o objetivo de conscientizar as pessoas para o exercício da cidadania e trabalhar o voto livre e consciente. Lançamento da Cartilha “O voto não tem preço”.

* Maio de 2002 – Resgatando o fincamento do Mastro de Santo Antônio, muito enfeitado e colorido, com a estampa de Santo Antônio, erguido em frente a igreja.

* Maio de 2002 – O Apostolado da Oração promove o 1º Chá Bingo no salão do bingo, das 13:00 s 17:00 horas e passa a ser tradição.

* Julho de 2002 – Afixadas no presbitério as bandeiras do Brasil, do Município, do Papa (confeccionada por Maria Bellato na costura e Inês Leite dos Santos na pintura) e a bandeira da Paróquia com desenhos de João de Oliveira, ganhador do concurso entre 9 modelos apresentados.

* 20 de junho de 2002 – I Festival de Música Católica da Infância Missionária em São José dos Campos e a diocese representada pelas crianças da Infância Missionária da Paróquia Santo Antônio, sendo vencedoras.

* Abaixo assinado para agilização da conclusão dos trabalhos para a demarcação e regularização da Terra Indígena /guarani Ribeirão Silveira em São Sebastião.

* 04 de agosto de 2002 – I Visita Pastoral Oficial de Dom Frei Fernando Mason. Falou de seu reconhecimento para com os paroquianos de Santo Antônio devido a capacidade que temos em apoiar comunidades carentes e gerar recursos sob a excelente administração de Pe Jacob. Também reconhece e tem grande gratidão pela participação direta da Paróquia Santo Antônio na criação da Diocese, residência episcopal e construção da Catedral Divino Espírito Santo. Disse também que somos co-responsáveis pelo pastoreio.

* Agosto de 2002 – Curso de formação da Pastoral da Sobriedade.

* Outubro de 2002 – Pe Merquides Reis volta para sua diocese de origem.

* 02 de março de 2003 – 1º Aniversário do Grupo de Jovens FONTALE (Fonte de Alegria).

* 15 de março de 2003 – Inauguração do Seminário Diocesano em Taubaté e romaria Aparecida com visita ao Seminário.

* Março de 2003 – Pe Jacob é escolhido para representar o Sub Regional SP 1 no COMLA 7 (Conselho Missionário Latino Americano) na Guatemala.

* Maio de 2003 – A Paróquia Santo Antônio recebe Pe Jacob Kryrzk Polonês (Pe Jacinto) que será Vigário Paroquial (foi ordenado sacerdote em 25 de maio de 1998).

* 31 de maio de 2003 – I Grande Procissão Marítima durante a Festa de Santo Antônio numa parceria entre Paróquia Santo Antônio, Secretaria Municipal de Turismo, Associação de Hotéis e Pousadas, SEBRAE, ACIC, de Massaguaçu até o Camaroeiro, com Santo Antônio no primeiro barco. Foi acompanhada de muitos barcos, canoas, lanchas, escunas lotadas, barcos de pesca, todos muito adornados de bandeirinhas coloridas, mastros de Santo Antônio, bexigas, faixas e tendo várias autoridades presentes, o Sr. Bispo, Pe Jacob, Pe Jacinto, David Salamene e o grande e incansável organizador Paulo Malta de Carvalho Filho.

* 17 de junho de 2003 – Moção no 50/03 do Legislativo Municipal de autoria do vereador Auraci Manzano, parabenizando a Matriz Santo Antônio através de seu pároco pela realização e popularização do Casamento Comunitário.

* 18 de agosto de 2003 – Inicia a Pastoral da Sobriedade na Matriz Santo Antônio.

* 16 de outubro de 2003 – Jubileu do Pontificado de S.S. Papa João Paulo II (25 anos de papado) frente a Igreja de Jesus Cristo, firme, corajoso, defensor da paz e reconciliação entre os povos em nossos tempos.

* 06 de novembro de 2003 – I EXPOPASA representada por 26 pastorais, movimentos e comunidades, durante a temporada de verão até o carnaval no salão social, mostrando seu trabalho, sinônimo de uma comunidade viva. Padres presentes na comissão julgadora: Pe James Kuty, Pe Alessandro Henrique Coelho, Pe Marcos Vinicius Rosa, Cônego Porfírio e Religiosas da Casa de Saúde Stella Maris.

* 12 de dezembro de 2003 – Missa de Formatura da 2º Turma da Escola Paroquial de Teologia.

* Janeiro de 2004 – Criação da Paróquia Santa Terezinha no Bairro Martim de Sá e desvinculação das Comunidades Ipiranga, Canta Galo, Olaria e Querosene que passam a formar a Paróquia.

* Fevereiro de 2004 – Eleita nova diretoria do Conselho Administrativo da Paróquia Santo Antônio:

  • Presidente: Pe Jacob
  • Vice Presidente:
  • Secretária: Maria Josefina Leirião Bellato
  • Tesoureira: Inês Leite dos Santos
  • Membros: Benedito Marcondes, Salete Aparecida do Nascimento Sessenta, Benedito Aguiar Cruz, Paulo Malta de Carvalho Filho (Coordenador Paroquial de Pastoral), Maria José da Silva (Coordenadora da Comunidade Rio do Ouro), Aloisio de Oliveira (Tesoureiro do Rio do Ouro), Alda Bispo de Oliveira (Tesoureira da Comunidade Ponte Seca), Jair Germano Ferreira (Coordenador da Ponte Seca).

* 20 de abril de 2004 – Morre Cônego Porfírio, na casa paroquial, acometido de um infarto fulminante do miocárdio. Era natural de Alagoas e ia completar 34 anos de sacerdócio. Já aposentado, alegre, bem humorado, lecionou na Escola de Teologia Paroquial e foi o primeiro chanceler da Cúria Diocesana de Caraguatatuba.

* Julho de 2004 – Debate político, organizado pela Pastoral Fé e Política no salão social, devidamente preparado e decorado, entre os candidatos a eleição do executivo municipal: Dr Maurice Mansour, Dr Álvaro Alencar Trindade, Sr José Pereira de Aguilar. Presentes 250 pessoas entre autoridades, padres, convidados, imprensa escrita e falada. Do lado de fora foi instalado um telão onde mais de 2000 pessoas assistiam, demonstrando suas preferências.

* Outubro de 2004 – Inicia a Pastoral da Educação com Magnólia, Ana Beatriz e Carmelinda.

* Outubro de 2004 – SEBRAE, Secretaria Municipal de Turismo, Associação de Hotéis e Pousadas, FUNDAC, ACIC e Igreja, se reúnem para preparar as “Caminhos de Santo Antônio” a fim de ser incluído no calendário turístico religiosos da cidade.

* Outubro de 2004 – Apresentado no CPP o ofício endereçado ao bispo demonstrado o anseio do povo para que a Matriz Santo Antônio seja declarada Santuário.

* 05 de novembro de 2004 – A Pastoral de Conjunto promove o Primeiro Jantar Dançante, idealizado por dona Inês e autorizado pelo pároco em Prol do Natal das famílias carentes da comunidade, no salão do bingo que foi decorado a contendo pela catequista Soynaara, a partir das 21:00 horas.

* 21 de novembro de 2004 – Festa de Cristo Rei II EXPOPASA.

* Dezembro de 2004 – Inauguração da “quentinha” peça elétrica de banho maria com 8 travessas inox, na confraternização de Natal de toda a paróquia.

* 17 de fevereiro de 2005 – Apresentação de Monsenhor Dislau em reunião do CPP como novo pároco da Matriz Santo Antônio.

* 19 de fevereiro de 2005 – Missa de despedida de Pe Jacob. Com sermões firmes e muitas vezes politizado, cativou muitos fiéis. Ministrou 1556 batizados, 660 casamentos, 1020 1º Eucaristia, premiou várias pessoas da comunidade com as “Comendas de Bênção Apostólica” vindas diretamente de Roma. Talvez por ser estrangeiro (Indiano) se relacionava muito bem com os turistas.
Pe Zdzislaw Nurczyk (Pe Dislau) – 20 de fevereiro de 2005 a 09 de março de 2007.

* 20 de fevereiro de 2005 – Assume em missa festiva, o padre Dislau como é chamado (Polonês de origem) pelo bispo Dom Fernando Mason.

* Março de 2005 – Reúne-se cada dia com uma pastoral ou movimento para conhecer o grupo e saber de suas propostas de trabalho. Sua meta principal é resgatar os jovens e traze-los para participar das pastorais. Pretende montar um espaço cultural, para grupos de dança, canto, teatro, pintura, sempre levando mensagens do Evangelho, de fé, paz, fraternidade. Evangelizar através da arte.

* 22 de março de 2005 – Pe Zdzislaw Nurczyk (Pe Dizlau) é homenageado na Câmara Municipal de Ubatuba, com o título de cidadão Ubatubense por seu importante trabalho na Paróquia Nossa Senhora de Fátima no Bairro Ipiranguinha.

* Março de 2005 – Está sendo reformado a todo o vapor o Salão Paroquial.

* 03 de abril de 2005 – Sua homilia é dirigida morte de S.S. o Papa João Paulo II que era seu conterrâneo e o conhecia pessoalmente.

* Abril de 2005 – Escreve peças da vida de Santo Antônio que serão apresentadas nas missas durante a Trezena de Santo Antônio e já formou um grupo de teatro com os jovens da comunidade.

* 01 de maio de 2005 – Traz o grupo teatral de Ipiranguinha para se apresentar na festa de 6 anos da Diocese.

* 12 de junho de 2005 – Inaugurado com missa no alto do morro, os “Caminhos de Santo Antônio”.

* Junho de 2005 – Trezena de Santo Antônio, encenada, apresentando Santo Antônio nas situações da vida atual.

* Junho de 2005 – I FESTCRISTO realizado pelo JUV e participaram mais de 80 jovens ao som da Banda Gólgota da Paróquia Santa Terezinha.

* 25 de junho de 2005 – Estréia do Espaço Cultural Papa João Paulo II, com a Cristoteca, momento de descontração e alegria vivido pelos jovens.

* 17 de julho de 2005 – Despedida de Dom Fernando com missa na Catedral.

* 20 de julho de 2005 – Pe Vilson Dias Oliveira novo Administrador Diocesano.

* Julho de 2005 – Adquiridas 150 cadeiras para o espaço cultural.

* Julho de 2005 – Exposição Fotográfica Olho no Olho que retrata situações do dia a dia, por vezes ignoradas. Esta dividida em três painéis: Olho e não vejo/Vejo e não olho/Olho no olho.

* 13 de agosto de 2005 – Exposição Fotos Históricas feitas pelos primeiros visitantes de nossa terra como a passagem de Hans Staden pelo Brasil.

* 18 de agosto de 2005 – 1º Reunião Diocesana no Espaço Cultural para apresentação de Pe Vilson Administrador Diocesano ocasião em que foi representado “O Grão de areia” de autoria de Pe Dislau.

* 20 de agosto de 2005 – Exposição no Espaço Cultural “A Passagem de J.B. Debret pelo Brasil”.

* 25 de agosto de 2005 – Apresentação do Coral Água Viva no Espaço Cultural.

* 03 de setembro de 1005 – Toma posse Pe Túlio Cintra de Oliveira como auxiliar da Paróquia Santo Antônio, nomeado pelo administrador diocesano.

* Setembro de 2005 – A entidade Divina Providência é católica e civil, sem vínculo com a Paróquia Santo Antônio. Tem uma ligação social, mas não eclesiástica.

* 10 de setembro de 2005 – A pastoral de conjunto, futura Equipe de Eventos, realiza o 2º jantar dançante da “Primavera” em prol das famílias carentes.

* 20 de setembro de 2005 – No Espaço Cultural, memorável encontro das artes com apresentação do quinteto (música instrumental) MUTE que mescla choro, baião, bossa nova, jazz, blues, funk, rock, fusion.

* 25 de setembro de 2005 – Exposição no Espaço Cultural “A Passagem de J.B. Debret pelo Brasil”.

* 08 de outubro de 2005 – Pré estréia da peça “Chapeuzinho Vermelho s Avessas”, de autoria de Pe Dislau, pelo grupo teatral Kurnamanha formado com o pessoal da comunidade.

* 12, 13, 14, 15 e 16 de outubro de 2005 – A peça Chapeuzinho Vermelho s avessas é apresentada nas escolas. De cunho infantil resgata a importância da família, da amizade, da atividade física e intelectual principalmente para os idosos, mostrando a solidão como a grande causa de doenças e infelicidades.

* 13 de outubro de 2005 – Nova diretoria para o Conselho de Assuntos Econômicos:

  • Presidente: Pe Dislau
  • Vice Presidente: Yumi Nozaki Pereira
  • Tesoureira: Inês Leite dos Santos
  • Secretaria: Maria Josefina Leirião Bellato
  • Membros: Jane Maria Gimenez, Vilma Almeida Costa, Maria Aparecida Viana, Natalina Marteletti, Soynaara Araújo Moraes, Salete Aparecida do Nascimento Sessenta

* 20 de outubro de 2005 – Pe Túlio Cintra de Oliveira assume a Coordenação de Pastorais.

* Outubro de 2005 – Pe Túlio implanta na Matriz o serviço de cerimoniários para meninos com mais de 14 anos.

* 19 de novembro de 2005 – Nomeado pelo Administrador Diocesano o diácono Joel Geraldo de Carvalho para auxiliar a Paróquia Santo Antônio

* 29 de novembro de 2005 – Início da reforma dos vitrais por firma especializada de Campinas/SP.

* Novembro de 2005 – Pe Túlio prepara o coral de vozes para apresentação no Natal.

* 17 de novembro de 2005 – Apresentação da peça Chapeuzinho Vermelho s Avessas no Teatro Municipal de São Sebastião, pelo grupo Kurnamanha.

* 07 de janeiro de 2006 – Apresentação da peça Chapeuzinho Vermelho s Avessas no “Drive Cidade”, na Praça de Eventos.

* Janeiro de 2006 – O grupo Kurnamanha se mobiliza para a Paixão de Cristo, que será encenada na Semana Santa. Pe Dislau sempre comenta “as pessoas olham a cruz, mas esquecem o crucificado”.

* Março de 2006 – A coordenadora do Espaço Cultural e a Equipe de Eventos começam a criação e montagem dos cenários, figurinos, iluminação. A confecção dos figurinos está sendo feita com doação de tecidos e lençóis velhos pela comunidade. É trabalho incansável de Ilda, secretária particular de Pe Dislau.

* 10 de Março de 2006 – Encenação das 7 Dores de Maria.

* 13 de Março de 2006 – Encenação da Santa Ceia, Jesus no Jardim das Oliveiras e Jesus perante Pilatos, no salão social, jardins da praça e presbitério da Matriz, respectivamente. Em seguida, vigília até as 24:00 horas, reiniciando sexta-feira s 7:00 horas.

* 14 de Março de 2006 – Encenação da Paixão, após as 15:00 horas e procissão do Senhor Morto.

* 16 de Março de 2006 – Domingo da ressurreição, missa e encenação da ressurreição. É uma graça e benção quando se pode acompanhar um trabalho de maneira séria, profissional e responsável, que proporcionou a todos a emoção que retratou fielmente a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, trazendo a uma reflexão atual (Pe Dislau).

* Maio de 2006 – O JUV realizou o I Encontro Esportivo Jovem, na Fazenda Santa Inês no Bairro Cantagalo.

* 26 de Junho de 2006 – S. Santidade o Papa Bento XVI nomeia o 2º Bispo da Diocese de Caraguatatuba, o Rev. Monsenhor Antonio Carlos Altieri SDB, pertencente Congregação dos Padres Salesianos.

* 05 de Julho de 2006 – Missa de formatura na Matriz de Santo Antônio, da primeira turma da Escola Teológica Diocesana, com 34 alunos que receberam diploma.

* Agosto de 2006 – Reforma na via de acesso que liga a Matriz Santo Antônio Cúria Diocesana, aumentando todos os muros, trocando portões, refeita a calçada com rampa e alguns degraus.

* Setembro de 2006 – A Pastoral Fé e Política organiza debate, no salão social da Matriz entre os candidatos Deputado Estadual, com domicílio no Litoral Norte: Antonio Carlos da Silva, Antonio Luís Colucci, Charles Alves de Medeiros, Daniel Galani, José Reini Dornelles, Juarez Pardim, Maurício Morozinato e Rubens Martins Franco Junior. Os candidatos Mozart Russomano e Demétrio não compareceram e justificaram suas ausências. Presentes cerca de 300 pessoas, Pe Vilson, Administrador Diocesano, Pe Leonildo Ferreira Junior, Assessor da Pastoral Fé e Política, Pe Túlio, Pe Sidnei.

* 01 de Outubro de 2006 – O grupo teatral Kurnamanha apresenta na Capela da Casa Stella Maris, homilia dialogada sobre a vida e morte de Santa Terezinha, no encerramento da novena em honra Santa.

* 07 de Outubro de 2006 – Pe Dislau volta das férias na Polônia e é recebido com missa, tendo as músicas em ritmo sertanejo, suas preferidas.

* 09 de Outubro de 2006 – Começa na Rádio Oceânica o programa Diocesano de rádio “Na Sintonia do amor”, das 17:00 horas s 18:00 horas, orientado pelo Pe Leonildo Ferreira Junior, tem vários colaboradores.

* 10 de Outubro de 2006 – Um dos assuntos tratados em reunião foi a situação do Asilo Santo Antônio, hoje Pró+Vida. Pe Dislau leu toda a documentação e vai esperar o pronunciamento do Sr Bispo para tomar as providências necessárias.

* 24 de Outubro de 2006 – Apresentação da peça “Beija Flor o Culpado”, pelo grupo teatral Kurnamanha, de autoria de Pe Dislau, que destaca a destruição da natureza e a culpa é assumida pelo mais fraco.

* Novembro de 2006 – Pe Túlio organiza coral paroquial para a missa de posse de Dom Altieri.

* 05 de Novembro de 2006 – Missa solene de posse do Bispo Dom Altieri, na Catedral Divino Espírito Santo, muito bem preparada e organizada, com as 16 paróquias e mais de 30 segmentos pastorais e movimentos que se fizeram presentes.

* 07 de Novembro de 2006 – Dom Altieri visita extra oficialmente o Espaço Cultural Papa João Paulo II.

* 24 de Novembro de 2006 – Equipe de Eventos organiza coquetel na “Noite de Autógrafos” e lançamento do livro “Beija Flor o Culpado, José de Anchieta e Porque”, de autoria de Pe Dislau, no salão Espaço Cultural Papa João Paulo II. Presentes, padres, jornalistas, o Prefeito Municipal e esposa, atores, bailarinos do grupo Kurnamanha e muitas pessoas, não só paroquianos.

* Novembro de 2006 – Todos os domingos, homilias dialogadas, enfocando e refletindo a importância do Dízimo, com a participação de Maria de Fátima F. Santana, coordenadora do Dízimo.

* 09 de Dezembro de 2006 – O grupo Kurnamanha se apresenta para os médicos, funcionários e familiares na Festa de Natal da Casa Stella Maris no Espaço Naxus. Daniela, coreógrafa e dançarina, prepara várias coreografias em forma de dança no anúncio do Anjo Gabriel Maria, o nascimento de Jesus e em seguida a peça “O Avarento”, uma adaptação feita por Sibele da peça de Moliére que emocionou a todos.

* 16 de Dezembro de 2006 – O grupo Kurnamanha apresenta-se na festa de confraternização da ACC (Associação de Combate ao Câncer).

*19 de Dezembro de 2006 – O grupo se apresenta no Natal das Famílias cadastradas na Paróquia Santo Antônio, com entrega de cestas básicas de Natal.

* 22 de Dezembro de 2006 – O grupo Kurnamanha apresenta-se no Colégio Thomaz Ribeiro de Lima, no Colégio Objetivo e no Espaço Cultural João Paulo II, com a peça “O Avarento”, com 7 coreografias preparadas por Daniela.

* Dezembro de 2006 – O grupo Kurnamanha participa do Natal nos Bairros Ponte Seca e Rio do Ouro.

* 31 de Janeiro de 2007 – Pe Dislau é nomeado Vigário Geral da Diocese de Caraguatatuba.

* Janeiro de 2007 – Começam as obras da Capela Ponte Seca.

* 09 de Fevereiro de 2007 – 3º Jantar Dançante “Noite da Alegria”, em prol da construção da Capela da Ponte Seca. Muito bem sucedida, com ótima comida e banda musical que animou com ritmos variados, desde o forró até marchinhas de carnaval.

* 17 de Fevereiro de 2007 – Missa de Envio dos Coroinhas e Cerimoniários, presidida pelo Bispo Dom Altieri, de 28 coroinhas e 7 cerimoniários.

* 25 de Fevereiro de 2007 – Retiro no Ranchão da Casa Stella Maris, dos coordenadores de pastorais, movimentos e comunidades da Paróquia Santo Antônio.

* 27 de Fevereiro de 2007 – Reunião Privativa na Matriz Santo Antônio, dos Bispos, do Vigário Geral, Coordenadores Diocesanos de Pastorais da sub-região. Presentes: Dom Damasceno – Arcebispo de Aparecida; Dom Beni – Bispo de Lorena; Dom Moacir – Bispo de São José dos Campos; Dom Carmo – Bispo de Taubaté; Dom Altieri – Bispo de Caraguatatuba; Pe Paulo; Pe Marcos.

* 28 de Fevereiro de 2007 – O grupo Kurnamanha se apresenta na FUNDAC, na abertura da Campanha da Fraternidade, com a coreografia “Salve o Verde”.

* 28 de Fevereiro de 2007 – Pe Dislau recebe a notícia oficial de Dom Altieri de que deixará a Paróquia Santo Antônio e assumirá a Catedral Divino Espírito Santo no dia 11 de março de 2007.

Pe Marcos Vinicius Rosa – 10 de março de 2007

* 08 de Março de 2007 – Pe Marcos foi apresentado em assembléia aos Coordenadores de Pastorais, pelo Pe Dislau. Falou de sua alegria de estar junto do povo e que devemos criar consciência de sermos bons acolhedores.

* 10 de Março de 2007 – Por decreto (Prot. no 130, Livro S, fl. 004) de 10 de Março de 2007 de Dom Altieri, toma posse como pároco da Paróquia Santo Antônio, onde é acolhido na missa das 19:30 horas, presidida pelo Bispo Dom Altieri. Com alegria e otimismo, Pe Marcos enfrenta uma realidade nova e desafiante. Santo Antônio é o padroeiro do município e a Igreja Matriz Santo Antônio, a primeira dentre todas as outras, a Igreja mãe.

* Natural de Votuporanga, SP, nasceu no dia 03 de maio de 1968. Aos 09 de junho de 1968 foi batizado na Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida, em Votuporanga, pelo Frei Pedro Lavares Filho. Sua infância foi muito sofrida. Sua mãe, juntamente com as crianças, deixou seu pai e mudou-se para Cardoso, cidade próxima, para a casa dos avós maternos.

* Com 19 anos de idade, motivado pelo seu pároco, que era reitor do Seminário, aceitou ir para lá, ficando 5 anos, enquanto completava o ensino médio. No último ano do seminário, morre sua mãe aos 42 anos, de hipertensão. Foi um momento de prova para sua vocação.

* Em 1993, dá início em um curso de Filosofia no Seminário Diocesano Sagrado Coração de Jesus, Diocese de São José do Rio Preto e em 1999, concluiu o curso de Filosofia e Teologia na Facolta Teológica Dell´Itália Centrale, em Firenze, Itália, convidado pelo seu diretor espiritual, vivendo lá uma experiência de 5 anos. Lá fez a opção por trabalhar na recém criada Diocese de Caraguatatuba.

* 17 de Dezembro de 1999 – Ordena-se Diácono, na Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida de Votuporanga, SP, sua terra natal. Em 23 de Dezembro de 1999, morre seu pai.

* Janeiro de 2000 – Ordenado Sacerdote na Catedral Divino Espírito Santo em Caraguatatuba. Foi uma grande festa. Era o primeiro padre ordenado na Diocese. Foi trabalhar em São Sebastião.

* 02 de Fevereiro de 2001 – Nomeado Pároco da Paróquia São João Batista, bairro Poiares, permanecendo durante 6 anos.

* 10 de Março de 2007 – Nomeado por Dom Antonio Carlos Altieri, pároco da Matriz Santo Antônio. Deus seja louvado, com Maria, aurora da ressurreição.

* Designa Pe Túlio Cintra de Oliveira, capelão da Casa Stella Maris e o Diácono Joel responsável pela comunidade Ponte Seca.

* Readquire a casa da paróquia, Rua Santos Dumont que estava cedida ao AA (Alcoólicos Anônimos) por aluguel simbólico e cujo contrato estava adulterado e vencido desde 2001.

* Os bispos da Sub-Região Pastoral de Aparecida, os Vigários Gerais, Coordenadores Diocesanos de Pastorais, estiveram reunidos na Matriz Santo Antônio, pela primeira vez no ano para a reunião privativa.

* 15 de abril de 2007 – Pe Marcos completa 7 anos de ordenação sacerdotal, com missa festiva e uma festa surpresa, que contou com toda a comunidade de paroquianos e muitos amigos.

* 20 de abril de 2007 – Participa, juntamente com o Bispo Dom Altieri, das comemorações dos 154 anos de aniversário de emancipação política administrativa da cidade.

* Adquiridos pela Paróquia valiosos prêmios para a Festa do Padroeiro, inclusive o automóvel zero km.

* Trocada a perua Kombi da paróquia por outra mais nova e conservada.

* Maio de 2007 – Pe Marcos dá início Campanha de Conscientização do Aborto, seus perigos e, principalmente, o ato de crueldade.

* Início da obra de troca do telhado, por telhas térmicas e dois exaustores entre o forro e o telhado.

* O antigo relógio da Matriz passa por revisão e conserto, também é feita a restauração da torre da Matriz.

* Feita a descupinização do altar-mor (Santo Antônio).

* Recebe a comitiva composta por bispos da V Conferência da América Central e Caribe, Padres Teólogos, que visitam o Litoral Norte.

* Realiza a festa de Corpus Christi, juntamente com a Paróquia São João Batista.

* Resgata a tradição da missa de terça-feira dedicada a Santo Antônio, com a bênção dos pães, das águas, dos doentes, das crianças, das casas etc.

* Junho de 2007 – Refeita a rede elétrica da Matriz.

* Realiza a 154º – Centésima Qüinquagésima Quarta Festa de Santo Antônio, de acordo com a tradição do povo e a missa campal, na praça da Matriz, que foi presidida por Monsenhor Vilson, futuro Bispo da Diocese de Limeira, SP.

* Julho de 2007 – Troca do Sacrário e nova harmonia para a Capela do Santíssimo Sacramento.

* Recebe a visita de Pe Nino Carta.

* Contrata uma sacristã para cuidar da Sacristia e Prebistério.

* Nova Diretoria para o Conselho de Assuntos Econômicos:

  • Presidente: Pe Marcos Vinicius Rosa
  • Tesoureiro: Marcelo Ferreira
  • Secretária: Maria Josefina Leirião Bellato
  • Tesoureiro da Ponte Seca: Alda Bispo de Oliveira
  • Tesoureiro do Rio do Ouro: Maria José da Silva
  • Coordenadora do Dízimo Paroquial: Terezinha Ribeiro
  • Secretária Paroquial: Salete Aparecida Nascimento Sessenta
  • Coordenadora de Eventos Paroquial: Inês Leite dos Santos

* Arrebanhando mais ovelhas, implanta a missa matinal de segunda a sábado s 07:15 horas.
* Implanta s terceiras quintas-feiras do mês a Missa de Cura e Libertação do RCC s 19:30 horas.

Caraguatatuba, 03 de outubro de 2007

Inês Leite dos Santos – Coordenadora da Equipe de Eventos da Matriz de Santo Antônio.