• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Papa fala pela primeira vez, depois de anunciar sua renúncia

Veja mais notícias

“Queridos irmão e irmãs, como sabem, decidi renunciar ao ministério que o Senhor me confiou em 19 de abril de 2005. Faço isso em plena liberdade pelo bem da igreja, depois de ter rezado muito e após examinar minha consciência diante de Deus”, declarou Bento 16 diante de um salão lotado com cerca de 10 mil pessoas no Vaticano, onde foi ovacionado.
“Me dá apoio e me ilumina a certeza de que a igreja é de Cristo, ao qual não lhe faltará seu guia e seu cuidado. Obrigado a todos pelo amor e pelas orações com que vocês me acompanham. Continuem rezando pelo papa e pela igreja”, concluiu.

Os milhares de fiéis presentes responderam com uma grande ovação, ainda maior do que a feita quando Bento 16 entrou na sala Paulo 6º para a tradicional audiência das quartas-feiras.
O pontífice entrou na sala por volta das 10h44 no horário local (7h44 horário de Brasília), enquanto os fiéis aplaudiam de pé agitando bandeiras de diversos países, incluindo o Brasil.
Bento 16 entrou sozinho na sala. Momento depois, ele foi seguido por seu secretário pessoal e prefeito da Casa Pontifícia, o arcebispo Georg Ganswein. Sorridente, Bento 16 acenou aos presentes enquanto soava uma música religiosa.
Logo depois, leu um breve texto e começou a audiência, cuja catequese (explicação oral) foi dedicada Quaresma, que começa hoje, Quarta-Feira de Cinzas.
Bento 16 leu sua mensagem sobre a quaresma em diversos idiomas, incluindo o português, momento no qual saudou Curitiba e Porto Alegre.  O papa disse que a Quaresma é um tempo para a conversa e convidou os fiéis a renovar seu compromisso com o diálogo, “dando espaço  a Deus, aprendendo a olhar com seus olhos a realidade de cada dia”.
Ainda nesta quarta-feira, o papa vai celebrar a missa da Quarta-Feira de Cinzas na Basílica de São Pedro, em vez de numa igreja menor de Roma onde estava prevista, para que mais pessoas possam comparecer. (Com Efe)

 

Fonte:Uol