• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Palavra do Pastor – Julho 2011

Queridos Irmãos e amigos,
Alegria e Paz !

Estamos concluindo velozmente mais um semestre !  Mês de Julho: – férias escolares, e, por isso, considerado pela sociedade em geral (ao menos até pouco tempo atrás) como um tempo de férias …  Na prática essa realidade já está sendo bem outra uma vez que justamente por diminuírem os empenhos acadêmicos, o mês de julho vem sendo “recheado” com inúmeras atividades que não cabem no calendário do semestre acadêmico… Cursos intensivos, estágios, congressos, assembléias, encontros, e também viagens de estudo, pesquisa, etc. As atividades continuam e…  parece que em ritmo até mais intenso !

Eclesialmente não é diferente, pois a Igreja é humana e se recente de tudo o que desafia a humanidade, a cultura e a sociedade enfim. O desafio maior que aflige o mundo de hoje é a real mudança de época em que nos encontramos !  Qual tem sido a tentativa de resposta da ação evangelizadora dos pastores, ministros e discípulos missionários ?

O Beato João Paulo II em sua Carta Apostólica “Novo millennio Ineunte” apresenta a “Nova Evangelização” como resposta a esse imenso desafio. Mas o que vem a ser a Nova Evangelização ?  É uma resposta pronta, mágica, uma metodologia eficaz ?  Não : – é sobretudo um novo ardor que encontrará naturalmente como conseqüência, os meios de se fazer entendido  na linguagem e nos sinais da atualidade !  Não significa simplesmente a aceleração do ritmo de reuniões, cursos, palestras, shows, programações exaustivas, etc. Esse engano tem levado muitos discípulos missionários a uma atividade febril, na maioria das vezes máscara de uma compensação afetiva e busca desenfreada de realização pessoal configurando, infelizmente, o mais puro ativismo estéril ! . . .

Não é nenhuma fórmula ou atividade que nos salvará, mas uma PESSOA e a confiança de que Ela está em meio a nós: – JESUS CRISTO !
Não sem motivo o Documento de Aparecida insta a todos os batizados a fazerem antes de tudo uma experiência pessoal e profunda com a pessoa de Jesus Cristo!

O essencial, portanto, a urgência mais fundamental é aprender a arte maior de viver profundamente unido a Ele: com seus pensamentos, seu olhar, seus sentimentos e atitudes, fazendo da Sua Palavra o próprio alimento.

O Beato continua em seu documento  propondo uma pedagogia para a santidade como medida alta da vida cristã do dia a dia, afinal “esta é a vontade de Deus: –  que nos santifiquemos”! (Cfr.1Tes.4,3). A santidade não pode ser contemplada num segundo momento numa programação pastoral alicerçada noutros pilares, mas,  a santidade deve ser a inspiração original que fundamenta todo o discernimento pastoral; de outro modo o risco de se perder em discussões estéreis e em projetos vãos que não espelham o pensamento de Deus, infelizmente se tornam uma conhecida realidade…
Não posso não partilhar a rica experiência espiritual que a Providência me permitiu fazer recentemente na Terra Santa.  Tive a alegria e o privilégio de vivenciar a vigília de Pentecostes no Horto das Oliveiras juntamente com outros bispos, com o Cardeal Geraldo M. Agnello,  Mons. Jonas Abib e com nada menos de 500 brasileiros entre eles o nosso P. Elimar, que acabava de participar do curso de Formadores em Roma.  Um verdadeiro “Kairós”…

Retornando passei por Roma onde pude me encontrar mais uma vez com nosso querido Papa Bento XVI, pedir-lhe a bênção para todos nós, cumprimentá-lo pela celebração do 60º.aniversário de sua ordenação sacerdotal na Solenidade de S. Pedro e S. Paulo  prometendo-lhe nossa oração e filial acatamento.

Nossa Senhora das Graças nos ajude a evitar o perigo de realizarmos muitas atividades e oferecermos pouca santidade… Ela, experiente por excelência do Espírito Santo, nos auxilie a sermos pessoas e Comunidades enamoradas de Jesus Cristo e corajosos no testemunho e no serviço!  Que nossas Paróquias e Comunidades possam ser verdadeiras escolas onde se aprende concretamente a arte da santidade, ou seja, a arte da vida cristã autêntica !

Cordialmente e no desejo de servir sempre mais e melhor,

+Antonio Carlos Altieri,sdb
Bispo Diocesano