• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

“Os olhos contemplam as mesmas paisagens que outros olhares, no entanto, somente alguns enxergam além daquilo que se vê” Pe Flávio Sobreiro

Veja mais notícias

Uma cena, muitos olhares! Todos olhando na mesma direção… Mas quantas diferenças no olhar. Alguns veem a cena, outros veem a simbolização que a cena é capaz de oferecer, outros veem de ângulos diversos e a visão fica diferenciada. Uma mesma cena, uma multidão de significações. Assim Deus fez o ser humano: capaz de ver e significar aquilo que vê. Certa vez ouvi de um cantor popular que cada um vive a vida de acordo com os olhos que a vê. É verdade! Tudo depende de nosso olhar. Embora os fatos sejam objetivos o olhar sobre eles podem mudar totalmente seu significado.

O que fazer então? Talvez não seja muito difícil não. Basta olhar a vida com os olhos de Deus. Imaginar como Deus olharia aquela situação difícil, aquela pessoa inconstante, aquele trabalho desafiador… Como Deus olharia o sorriso de uma criança, o choro do bebê que acabara de nascer e a energia do jovem que quer fazer acontecer… Como Deus olharia o discernimento de um adulto que sabe onde quer chegar ou a sabedoria de um idoso a saborear a vida e suas vicissitudes. Olhar o próximo, o mundo, a natureza, a nós mesmos com olhar de Deus, eliminando toda forma de julgamento presunçoso e condenação antecipada. Olhar o mundo a partir das realidades celestes, nosso desejo e meta. Ver além daquilo que se vê, com a visão aberta e imersa na eternidade, onde os sonhos se desabrocham e fazem a vida acontecer; onde a fé torna bela toda atividade humana que tende para o bem; onde a esperança é a âncora que assegura o bem estar no porto da vida; onde a nossa embarcação veleja sobre a direção do Mestre Jesus e navega nos mares do amor de Deus.

Ver a vida com o olhar de Deus faz os sonhos serem reais e antecipa o sabor gostoso da eternidade! Faça a experiência e verás a beleza da vida se descortinar diante de seus olhos incessantemente, todo dia o dia todo, sempre com um novo olhar, como que de quem vê a sua criação todos os dias a se recriar.

Seminarista Bruno César de Almeida Silva, Diocese de Caraguatatuba