• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Mensagem do Bispo – Junho/Julho 2016

Veja mais notícias

Meio caminho andado no Ano Jubilar da Misericórdia. Lembrando que o tema do segundo ano de nosso Projeto Diocesano de Pastoral é: “Batismo, fonte de Misericórdia e comunhão”, busco na Catequese do Papa Francisco sobre o sacramento do Batismo este ensinamento.

“Mas o Batismo é realmente necessário para viver como cristãos e seguir Jesus? Não é no fundo um simples rito, um ato da Igreja para dar o nome ao menino ou à menina? É uma pergunta que pode surgir. A este propósito, é esclarecedor quanto escreve o apóstolo Paulo: ‘Acaso ignorais que todos nós, batizados no Cristo Jesus, é na sua morte que fomos batizados? Pelo Batismo fomos sepultados com ele na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dos mortos pela ação gloriosa do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova’ (Rm 6,3-4). Por conseguinte, não é uma formalidade! É um ato que diz profundamente respeito à nossa existência. Uma criança batizada ou uma criança não batizada não é a mesma coisa. Nós, com o Batismo, somos imersos naquela fonte inesgotável de vida que é a morte de Jesus, o maior ato de amor de toda a história; e graças a este amor podemos viver uma vida nova, já não à mercê do mal, do pecado e da morte, mas na comunhão com Deus e com os irmãos.”

O Batismo nos anima a partilhar nossa vida com a comunidade de fé que é nossa capela, paróquia ou diocese. Tenho observado nas paróquias que tenho visitado para celebrar a festa do santo padroeiro, um sensível aumento na participação das missas e no empenho em realizar a festa religiosa e social, com importante participação de um número cada vez maior de pessoas. Gostaria de aproveitar esse momento para dizer um obrigado de coração a você irmão e irmã por esta entrega de vida partilhando suas capacidades e o seu precioso tempo com a nossa igreja. Essa é uma maneira concreta de se sentir batizado e responsável pela família dos filhos e filhas de Deus. Deus vos recompense por tudo.

A solenidade de Corpus Christi foi outro momento em que podemos mostrar na prática simples nosso agradecimento a Nosso Senhor que para nos sustentar na caminhada de fé, deixou-nos seu corpo e seu sangue como alimentos para fortalecer nossa vida cristã. Quanto carinho, quanta dedicação ao confeccionar os tapetes, que sem levar em conta a precisão artística são uma maneira de rezar e dizer a Nosso Senhor o quanto somos agradecidos pela vida que nos concede. O mês de junho nos traz a secular tradição da devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Damo-nos conta de que Jesus não é um fantasma, nem uma simples teoria religiosa, mas é o Verbo Eterno do Pai que se encarna para nos salvar. Vem confirmar que Jesus é Homem e Deus. Ele tem coração como cada um de nós. Também a devoção ao Imaculado Coração de Maria, a Mãe de Jesus e nossa Mãe. No mês de julho teremos as festas dos grandes santos da Igreja Católica. Eles nos ajudam a viver nossa fé. Simplesmente homens, como Antonio de Pádua, Pedro, Paulo, João, Barnabé, Tiago, Joaquin e Ana, pais de Nossa Senhora e tantos outros são hoje lembrados pela igreja como pessoas exemplares no seguimento de Jesus. Desejo que seu nome caro leitor e cara leitora seja um dia acrescentado nesta lista de pessoas valorosas, apóstolos ou gente humilde, que souberam acreditar no Filho de Deus e viveram sua fé nas comunidades de nossa bela Diocese de Caraguatatuba. Nosso lindo litoral norte precisa ter mais pessoas lindas como você.

 

Dom José Carlos Chacorowski CM