• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Mensagem a Dom José Carlos

Pelos seus 35 anos de Ordenação Sacerdotal.

GRANDE CLÁSSICO DO MARACANÃ DE 1980

Rio de Janeiro, Jornal do Brasil, Dia 03 de Julho de 1980, Karol Wojtila, no dia de ontem, depois de visitar a favela do Vidigal, rezou missa no Maracanã, onde ordenou 74 novos sacerdotes. A celebração aconteceu no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Ao som do tão conhecido “A bênção, João de Deus, nosso povo te acolhe…”, o Santo Padre entrou no estádio que, após calorosa recepção, transformou o estádio em uma imensa catedral a céu aberto…

Caríssimo Dom José Carlos Chacorowski, permita-nos hoje chama-lo simplesmente de Padre Chaco, pois é o teu presbiterado que queremos comemorar. Há 35 anos fostes ordenado presbíteros num Estádio, então queremos hoje abusar da comparação e de teu ministério com a paixão que está no coração e na alma dos brasileiros, o Futebol.

Começastes jogando muito bem, o melhor dos campo, 76 jogadores de uma vez só. Tivestes como primeiro técnico um Santo, conhecido como o João de Deus, que te deu a camisa, que é a sua estola e te colocou em campo que é a sua missão sacerdotal.

O segunto técnico se chamava Josef Ratzinger, conhecido como Bento 16, te promoveu a treinador e te fez acompanhar outros técnicos e a liderar partidas que não eram tuas.

O terceiro técnico se chama Francisco e este te nomeou técnico também e resolveu entregar a responsabilidade de um time e lhe disse que os lances e passes depende de ti e da negociação com dono da bola que é um certo galileu bem conhecido.

Nesse jogo suas chuteiras serão as sandálias de missionário. Seu Grito de Guerra será o próprio Evangelho. No campo da vocação que escolhestes, cada ministério presbiteral joga em uma posição. Seja cuidadoso para que nenhuma pessoa fique de escanteio. O quanto possível, conheça todas as capacidades dos que se apresentam no banco de reserva. Quando jogares de meio-campo saiba lançar a bola aos que estão no ataque, para que os mesmos possam fazer o gol. Alegre-se com eles! Quando estiveres jogando como centroavante, ao fazer um gol comemore agradecendo aos te facilitaram este lance. Alegre-se com eles também!

Se tiveres o dom de ser goleiro lembre-se que carregas o time nas mãos, mas se tens o dom de jogar na linha, lembre-se que carregas o time na ponta dos pés. Mas o importante é quando o time estiver guardado no coração de Bom Pastor.

O juiz é Deus, que apita somente quando é preciso e perdoa todas as faltas que cometemos. Mas para isso é preciso jogar sempre em equipe, porque quando se joga junto, nunca se tem a sensação da derrota. E a vitória sempre é de todos e não de um só.

Na arquibancada tens que reservar sempre lugar para os pobres, pois traz no lema da sua vida a promessa de evangeliza-los. Se assim o fizeres eles mesmos se encarregarão de consolá-lo quando no zero a zero ou nos resultados negativos.

A bandeira do nosso time é vermelha e traz estampada um pássaro vivo e divinamente criativo. A Taça dos vencedores é o Cálice que cada vez que o senhor levanta no altar representa a Vitória da vida sobre a Morte.

Na torcida desta partida, que não termina jamais, estamos todos nós da Diocese de Caraguatatuba, que na maioria das vezes avançamos o campo e interferimos no jogo, mas sempre com a intensão de ajudar. O placar marca 35 gols de placa, fora os gols que o organização do clube não deixou contabilizar. Mas ainda na torcida, Padre Chaco, tu contas com torcedores ilustres e absolutamente fiéis. Pois já na primeira fila, e de pé, temos Nossa Senhora, Ladeadas por São José e por São Vicente, seus maiores intercessores.

Feliz Sacerdório Dom José Carlos!

Palavras do Pastor Dom José Carlos – Fev/Mar

Caríssimos irmãos e irmãs,

As festas do final do ano nos fizeram sonhar e desejar um mundo melhor. Todos estávamos cheios de esperança de que realmente poderíamos iniciar um tempo novo.

Mas… que é isso que estamos presenciando? Quem semeia vento, diz o ditado popular, colhe tempestade. O que se passa diante de nossos olhos perplexos na verdade é o resultado de vidas, s vezes tão jovem, que passaram somando rixas, falta de amor e de referências a valores humanos e sociais. Não é esse aí o mundo sonhado pelo Criador, não tenho dúvida disso. Em nome da soberania a vida humana não conta. Em nome da liberdade de opinião tudo é permitido. Parece-me haver aí algum equívoco. O dom inestimável da vida e da liberdade devem sim seguir por caminhos que as levem a uma plena realização. Isso supõe, em si mesmo, critérios e limites sem os quais tudo pode virar uma aberração.

Nossa diocese não vai fugir da luta pela paz e pela dignidade humana de cada pessoa. Por isso faremos a nossa parte por um mundo melhor acolhendo com os Bispos do Brasil a proposta de fazer de 2015 o “Ano da Paz”.

Enquanto muitos continuarão a fugir das responsabilidades por um mundo mais humano, justificando que o carnaval é caminho de mudança da sociedade, quando na verdade, estão enchendo suas vidas de ruídos e de excessos em todos os sentidos. Procuraremos através do tempo forte da Quaresma mais reflexão e oração que nos permitirão assumir nossa vida com muito mais dignidade e respeito. A Semana Santa nos leva a olhar para o exemplo maior de doação e amor. Tempo de Páscoa é tempo de renovação da vida, não através das bombas, da depredação do bem público, mas da renovação de nossa maneira de pensar e de agir.

Estaremos iniciando na prática nosso Projeto Diocesano de Pastoral “Construindo comunhão”, a través da realização do censo diocesano. Nossas famílias todas serão visitadas para podermos tomar consciência da nossa realidade. Assim iremos construir um mundo novo a começar pela nossa diocese, não baseados em fantasias e ilusões, mas acolhendo a realidade sócio–econômico-religioso do nosso Litoral Norte. Como será bom e prazeroso trabalhar em cima de nossa realidade concreta. Os frutos acabarão sendo verdadeiros e não ilusórios de tudo o que iremos realizar daqui para frente.

Que o Divino Espírito Santo nos anime a caminhar numa mesma direção, esta da construção da unidade em nossa Diocese, juntando e somando forças. Quando somos capazes de unir esperanças e sonhos, o caminho torna-se mais alegre. Semeemos unidade para colhermos a mais bela obra de evangelização.

Deus nos abençoe a todos.

Dom José Carlos Chacorowski CM
Bispo Diocesano de Caraguatatuba SP

Mensagem do Bispo Dom José Carlos para De Praia em Praia Dez/Jan 2015

Meus caríssimos creio que todos somos tentados a dizer: como passou rápido!!! Já é final de ano outra vez! Outra vez é Natal! Outra vez Deus acredita que é bom começarmos mais um Ano Novo! Por isso nos oferece tudo de novo! Mais uma vez o ano que passa trouxe-nos tantas coisas boas. Mas parece que só sobrou coisas ruins… tantas guerras diferentes destruindo a vida de tantas maneiras diferentes. Será que queimando ônibus e carros, explodindo lojas, degolando inimigos, distribuindo drogas conseguiremos construir um mundo de paz?

         Porque é Natal outra vez, devemos tomar consciência de que Deus não abandona a sua obra. Deus não se cansa de nos dizer que nos ama. Nós é que nos cansamos de ler suas mensagens a cada passo. Por isso nossa Diocese ousou rever corajosamente seus projetos. Em nossa assembleia diocesana lançamo-nos com ousadia no Projeto Diocesano de Pastoral cujo título é: “Construindo comunhão”. Será nossa maneira de ler a vontade de Deus nos caminhos da história dessa diocese. Como não queremos construir sobre a areia dos equívocos e desconhecimentos, procuraremos descobrir a rocha da realidade em que vivemos. Assim não nos iludiremos. Isso dará trabalho? Sim! E muito. Coincidirá com o ano da Vida Consagrada proclamado pelo Papa Francisco. Temos algumas congregações religiosas tradicionais como as Irmãs da Congregação das Filhas da Caridade Canossianas, as Irmãs Servas de Santa Teresinha, as Irmãs da Congregação do Bom Pastor, as Irmãs da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, os Freis Franciscanos Menores e Conventuais, e as consagradas em estilo novo e recente na Igreja como as corajosas e batalhadoras jovens da Comunidade Palavra Viva presentes em nossa diocese desde o ano 2000. Rezemos pois, durante todo este ano de 2015 por estas mulheres e homens consagrados ao serviço da Igreja nas Congregações. Deus seja sempre força e ânimo a todos. Saibam superar todas as dificuldades com perseverança e oração. Muito obrigado a todos eles e elas pelo trabalho silencioso e constante muitas vezes incompreendido e desvalorizado.

         O Concílio Vaticano II vem já há cinquenta anos lançando um novo olhar sobre a Igreja e sobre o mundo. Devem ser os nossos olhos que hoje dão profundidade aos anseios do Concílio. Essa missão será simplesmente impossível sem a fundamental participação dos leigos que formam a maioria do corpo da Igreja.

Peço ao Divino Espírito Santo, Padroeiro de nossa Diocese que ilumine nosso Projeto Diocesano de Pastoral e faça dele como que, novas lentes, que venham corrigir a nossa miopia. Possamos acolher com carinho a nossa real situação pastoral e diocesana. Tenho certeza que descobriremos tesouros escondidos mais que pecados e problemas.

Por isso evoco mais uma vez o espírito Natalino. Deixemos brotar do fundo de nossos corações esse grito constante pela PAZ. Grito que não pode ser sufocado nem substituído pelas inúmeras promoções natalinas do comércio. O mundo tenta substituir a aurora da Vida e a esperança de recomeçar sempre de novo pela imagem do Papai Noel. Embora seja chamado de o “bom velhinho”, simpático sim, mas é um velho… não consegue romper tantas necessidades mais profundas do ser humano. Então, é hora de despertar para o fato do Novo. Deus se faz criança, Vida Nova… Recomeço… Esperança… Humildade… Amor… O Verbo Eterno do Pai Criador para não nos assustar se faz criança para indicar que toda a sua força deve brotar do fundo de um coração simples e humilde que confia e que não é soberbo.

Desejo em nome da Diocese de Caraguatatuba um santo e abençoado Natal e um início de Ano Novo de 2015 cheio de esperança e de novas possibilidades.

Santíssima Virgem Maria, és aquela “que sabe transformar um curral de animais na casa de Jesus, com uns pobres paninhos e uma montanha de ternura” (Papa Francisco – EG 286), faz do nosso Projeto Diocesano de Pastoral “Construindo Comunhão” mais um ‘paninho’ nesta mangedoura onde deve nascer a Vida Nova oferecida pelo Criador.

 Dom José Carlos Chacorowski CM

Bispo Diocesano de Caraguatatuba

Página 3 de 1212345...10...Última »