• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Palavra do Pastor – outubro/novembro de 2011

Queridos Irmãos e amigos,Viva Nossa Senhora Aparecida !

Iniciamos o rico mês de outubro com muitas motivações para o nosso crescimento espiritual.  Logo no primeiro dia do mês celebramos Santa Teresinha do Menino Jesus, Doutora da Igreja e Padroeira das Missões !

São Francisco no dia 4 com seu carisma difuso na Igreja há mais de oito séculos e mais atual do que nunca, especialmente em nossos dias em que a ecologia é um tema imperativo. “ Se quereis a Paz, cuidai da criação, preservai a natureza” … : – Irmão Sol, irmã Lua…

São Benedito no dia 5, tão popular e querido em todo o território Nacional  e celebrado com tanta devoção, confiança e riqueza folclórica.

Santa Teresa d´Avila, Santa Edwiges, São Simão e São Judas, S. Lucas evangelista, patrono dos médicos, Santo Antonio de Santana Galvão, o primeiro Santo Brasileiro celebrado no dia 25 e tantos outros !

Neste mês celebramos com Santa Teresa, no dia 15 o dia do Professor; com Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil, no dia 12 o dia da Criança !

Em homenagem nossa Mãe Aparecida, nossa jovem e dinâmica Diocese de Caraguatatuba realizará no dia 15/10 a já tradicional Romaria casa da Mãe como filhos devotos que confiam na sua materna presença e atuação em nosso meio ! A visita ao Seminário Maior Beato José de Anchieta em Taubaté, na tarde desse mesmo dia, confirmará o apreço aos nossos seminaristas  aos formadores que lá dedicam suas vidas pelo bem do futuro da nossa Diocese em consolidação. Esse gesto tem confirmado o interesse e o apoio das orações pelas vocações bem como tem motivado maior apoio na manutenção do seminário e dos seminaristas ! “Não se ama aquilo que não se conhece” !

Maria, totalmente dependente de Deus e orientada para Ele, para o desenvolvimento de sua fé, junto ao seu Filho, é o ícone mais perfeito da liberdade e da libertação da humanidade e do mundo. É a Ela, que a Igreja deve olhar para compreender o sentido de sua Missão em plenitude.

Não sem motivo, ao lado da Cruz que nos chegou de Madrid a fim de nos preparar para a JMJ de 2013 no Rio de Janeiro, (passando por todas as Igrejas particulares do Brasil) chegou também o ícone de Nossa Senhora, lembrando-nos que ela esteve presente na vida de Jesus desde a sua Imaculada Conceição até aos pés da Cruz !!!

Peçamos Senhora Aparecida que motivados pelos valores evangélicos nos permita cumprir a Missão que nos foi confiada pessoal e comunitariamente : – edificar o Reino de Cristo e continuar sendo evangelizadores nestes novos tempos, aderindo eclesial e jovialmente ao projeto “BOTE FÉ”, testemunhando com nosso estilo discreto e despojado de vida que a verdadeira libertação e felicidade não se encontram nos ídolos do ter do poder e do prazer, disseminados no consumismo desenfreado, mas no Cristo Irmão e amigo, trazido ao mundo pelo Sim despojado e confiante de Maria e na Igreja fundada por Ele.

Peçamos ainda a essa Santa Mãe que acolheu o Projeto de Deus e a todos nós como filhos que compreendendo nossas fraquezas, limitações e sofrimentos, nos amando com amor de predileção, nos permita também, de coração humilde e pobre, de mãos vazias para acolher o Projeto do Alto vivermos e trabalharmos sempre na fidelidade de discípulos-missionários do seu Filho Jesus, para a maior glória de Deus e para a salvação do mundo. Um final de semestre feliz a todos ! Cordialmente e no desejo de servir sempre mais e melhor,

 

 

+Antonio Carlos Altieri, sdb

Bispo diocesano de Caraguatatuba – SP

Palestra e Homilia no 24 AVIV – Canção Nova

Mudar para Transformar

São Vicente há tanto tempo já sentia a necessidade da mudança na sociedade. Neste ano a família vicentina sentiu a necessidade de refletir o que nos é preciso atualizar, mudar. Se a gente não acredita nesse Deus da providencia, que é vivo e está presente o tempo todo, tem medo da mudança.

Deus nos deu propostas, metodologias para completar aquilo que é o melhor quando nos abrimos e partilhamos. Como utilizar melhor os dons e talentos que Ele nos deu?

É mais fácil viver na mesmice. Como aqueles que guardaram os talentos que tinham, como na parábola dos talentos. Os dons que Deus nos da é para ser colocado em prática. Nós nem imaginamos o que vem na confiança e no sim para aquilo que Deus tem para nós.

Deus correu o risco de acreditar em nós, que podemos fazer coisas boas, contribuir com a criação, pensar o bem como Ele pensou.

Se sofremos, lutamos, buscamos acertar, temos desafios, é porque estamos no caminho certo. Se está difícil é porque seguimos o caminho de Cristo aquele que não foi aplaudido o tempo todo, mas foi tantas vezes caluniado. Até o alto da cruz Jesus foi fiel e coerente com aquilo que propôs. Se não foi fácil para Jesus, não será para nós. Ele não fez “propaganda enganosa” para ninguém.

Jesus veio pra servir e não pra ser servido. Quem busca vaidade e poder será humilhado. Quem faz em serenidade e sem interesse, a seu tempo, a obra vai brilhar. Sou um enviado, instrumento, a obra é de Deus. Precisamos estar dispostos e abertos para a missão, unidos. Será que somos “funcionários” desinteressados que fazem as coisas apenas quando estão olhando? Do que adianta? O santo é sereno porque sabe que a obra é de Deus. Ele sabe e confia que Deus é providente e de uma situação que nada da certo ele consegue tirar uma vantagem.

Nossa capacidade de mudar está na medida do nosso relacionamento com Deus. Não foi a toa e sem motivo que cada um chegou aqui.

Temos que olhar com o coração de Deus como Jesus fez. Ele da exemplo na parábola do bom samaritano onde diz que o próximo é aquele que está perto, que se tem compaixão para com sua dor, sofrimento. O próximo é aquele que me aproximo com misericórdia e compaixão.

Pela eucaristia e a Palavra de Deus a diversidade de dons não nos causa inveja. Os dons são diferenças que se completam. Somos convidados a dar prova de fé nessa missão que nos é concedida.

Transcrição e adaptação Clarissa Oliveira
Dom Antonio Carlos Altieri
Bispo de Caraguatatuba (SP)

 

Louvar e viver a Palavra de Deus

Perto de comemorarmos o dia de São Jerônimo, que se dedicou muito tempo para traduzir a Bíblia, lembramos que temos dois documentos que nos fala da importância de se dedicar a Palavra de Deus. O Dei Verbum, nos fala sobretudo de valorizar a Palavra na Santa Missa, de ter a comunhão com esta Palavra, na primeira parte da missa, equiparando com a Eucaristia, dizendo: “Não se aproxime do banquete Eucarístico, quem não participou do banquete da Palavra”.

E enquanto a Palavra não penetrar em nós, não podemos dizer que somos amigos de Cristo. Pois não há como ser amigo de Jesus, se não fazemos aquilo que Ele manda.

Jesus veio para nos lembrar quem somos, filhos de Deus. Precisamos reassumir essa condição e se temos essa certeza temos tudo, pois somos herdeiros do céu. Cristo renunciou sua condição divina assumindo sua condição humana para estar no nosso meio e com isso nos elevou.

O tema desde Aviv “Mudar para transformar”, nos faz refletir nós podemos mudar, não devemos nos impor as mesmas coisas, Deus nos permite sermos novos, de viver a novidade que Ele mesmo nos dá, precisamos fazer nossa parte, acreditando sermos filhos de Deus. Ele nos criou sem a nossa participação, mas não quer nos salvar sem a nossa participação.

O evangelho relata a história de dois filhos, o primeiro fala que vai e não vai e também o segundo que diz que não vai, mas na hora vai. Devemos nos perguntar em qual grupo estamos, estamos seguindo a lei pela lei, achando que somos melhores, os escolhidos? Lembre-se que Jesus condenou os hebreus que o louvavam com lábios, mas os corações estavam longes. E acolheu as prostitutas, coletores de impostos. Somos o primeiro ou o segundo filho? Ou somos o terceiro, aquele que fala que vai e realmente vai.

A celebração de hoje nos convida a fazer mais do que cantar louvores a palavra, nos convida a tomar a decisão de vivê-la.

Papa Bento XVI escreveu um outro belíssimo documento Verbum Domini, que também fala da riqueza da Palavra do Senhor, um Deus que nos fala, que nos responde. Devemos nos dedicar cada dia mais a leitura da Palavra.

Com a decisão de viver a Palavra de Deus no dia a dia, com louvores, mas não somente, mas também vivendo, continuemos nossa caminhada.

Transcrição e adaptação: Regiane Calixto
Dom Antonio Carlos Altieri
Bispo de Caraguatatuba (SP)

 

Palavra do Pastor – Mês de Agosto de 2011

O mês de agosto, conforme o costume da Igreja no Brasil, é dedicado oração, reflexão e ação nas Comunidades sobre o tema das vocações.  A proposta tem sido a seguinte:

1ª. Semana: vocação para o ministério ordenado: diáconos, padres e bispos;
2ª. Semana: vocação para a vida em família (atenção especial aos pais)
3ª. Semana: vocação para a vida consagrada: religiosos(as) e consagrados(as), seculares;
4ª. Semana: vocação para os ministérios e serviços na Comunidade.

A Pastoral Vocacional consiste na ação da Comunidade Cristã, ministerialmente organizada, que visa  fazer com que todo cristão, desde os primeiros anos da meninice, desenvolvendo a vocação fundamental santidade e Missão que brota do Batismo, descubra a própria vocação pessoal, e encontre as condições necessárias para o amadurecimento e a perseverança. Visto que se trata da nossa colaboração com a ação de Deus que, ao mesmo tempo, se reflete no destino e na vida do homem e da mulher, é preciso não esquecer algumas premissas que dão o verdadeiro sentido ao empenho vocacional. Indico apenas três:

-Antes de tudo, a iniciativa de Deus. : Toda vocação na Igreja tem a sua origem em Deus !  O Espírito distribui a cada um o seu carisma. A vocação ao ministério ou vida consagrada é um ato de predileção divina. Não é escolha ou decisão do homem: “ Não fostes vós que me escolhestes, mas eu é que vos escolhi a vós (Jo. 15,16)

– Em segundo lugar, as necessidades da Igreja: As vocações são para que possa realizar a sua  Missão de sacramento de salvação no mundo. “Deus não permitirá que faltem ministros para a sua Igreja” afirmou  de maneira concreta o Concílio Vaticano II, referindo-se s vocações sacerdotais (Optatam Totius, 6). É para este mundo em que vivemos hoje que a Igreja precisa das vocações de todos os cristãos e, de modo particular também das vocações ao ministério sacerdotal e aos diversos tipos de Vida Consagrada … Em nosso mundo tão cheio de esperanças e anseios Deus continua a chamar, para que a Igreja possa servir ao mundo que ama !

– Em terceiro lugar, a complementaridade de todas as vocações: Os carismas tem como finalidade a renovação e a edificação da Igreja (Lumem Gentium, 12) . Ela deve crescer, expandir-se, chegar a realizar o seu destino de ser a Comunidade de “toda criatura”!  A teologia atual dá grande importância essa finalidade eclesial de todas as vocações: Todas as diversas vocações se interrelacionam e se completam para servir a única Missão da Igreja (Ad Gentes,15; Lumem Gentium 12). As vocações se definem em função da comunhão dentro da igreja e na sociedade.

O primeiro objetivo então da pastoral vocacional é cultivar e fazer o cristão viver com convicção a sua primeira e fundamental vocação: a vocação fé, o chamado a fazer parte do povo de Deus! A razão mais alta da dignidade humana consiste na sua vocação comunhão com Deus ! Desde o seu nascimento o homem é convidado ao diálogo com Deus !  Por isso, felizes de nós e de todos os que nascem num lar cristão, que tem uma família e que tem uma mãe que apresenta Deus juntamente com o leite materno…

A vocação ao sacerdócio e vida consagrada se insere assim no círculo mais amplo da vocação cristã fundamentada no sacramento do Batismo, embora não exista um cristão genérico… Toda pessoa em algum momento da vida é chamada a assumir na Igreja tarefas bem determinadas e deve descobri-las. Os psicólogos associam esse momento opção fundamental na vida.  A vivência nas Comunidades cristãs, o exercício dos diversos serviços  e uma verdadeira pastoral vocacional ajudam a descobrir e amadurecer a vocação específica de cada um .

No próximo dia 28 convido a todos, especialmente os jovens que se encontram em período de discernimento a participarem com vibração e entusiasmo do tradicional evento preparado pela nossa Pastoral Vocacional Diocesana, o Pró-Vocação !

Demos glórias a Deus Pai, Filho e Espírito Santo que tem permitido vivenciar essa animação em nossas Comunidades e Paróquias nesses 12 anos de nossa querida diocese de Caraguatatuba!  A prova maior desse nosso dever de gratidão é a  bela colheita vocacional que  poderemos testemunhar no próximo dia 09  de Agosto, s 19h00 em nossa Catedral, quando terei a incomparável alegria de ordenar diáconos os seminaristas Carlos Alberto Rodrigues, João Marcos da Silva, Manoel Leite Silva e Márcio Jose Fraga .

Nossa Senhora, a Mãe das vocações, rica de graças e generosa em distribuí-las continue auxiliando a esses novos diáconos e a todos os vocacionados para serem fiéis e perseverantes dispensadores dos dons que o Espírito lhes confia nessa nobre e santa Missão de servir no e pelo amor de Cristo !  Cordialmente e no desejo de servir sempre mais e melhor,

+Antonio Carlos Altieri,sdb

Bispo Diocesano

 

 

 

 

 

 

Página 12 de 12« Primeira...89101112