• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Histórico

Conheça a história da Catedral Divino Espírito Santo

A criação da nossa Catedral foi a partir das Missões Redentoristas em Maio de 1988, com as celebrações sendo realizadas na APAE e na escola do Indaiá, presididas pelo Pe. Miguel Rosseto. Pe. Miguel nos orientou que precisávamos conseguir um terreno que estivesse no Indaiá. Mas como conseguir um terreno sem recursos?

Foi então que surgiu a 1ê Festa da Comunidade ainda sem Padroeiro, para arrecadar fundos para compra do tão sonhado terreno.A festa foi organizada na Avenida Ceará, casa, do Sr. Idazil Oliveira Faria e sua esposa Dona Maria, que cederam sua casa para a realização da mesma.
As pessoas que formavam esta equipe eram: Selma Neder Martins Lemos, Idazil Oliveira de Faria, Maria Aparecida Campos, Saula Martins dos Santos, Maria Angélica Maciel Zanchetta, Rosimari Damas Galvao,Ana Paula Leite, Luci Guarici Stringari, Rosalinda Fernandes Ferreira. que arregaçaram as mangas e foram pedir ajuda aos moradores vizinhos como prendas, bolos, churrasco e tudo mais. As celebrações eucarísticas aconteciam na escola da APAE.
No mesmo período de 1989, Pe. Miguel que estava procurando um terreno para a construção da Igreja e acabou descobrindo que no Bairro do Jardim Aruã,havia um terreno doado para a Igreja. Mas a localização do terreno do Jardim Aruã era muito distante, pois a maior parte da comunidade morava no Bairro do Indaiá. Foi então que o Sr. Manoel Rodrigues, percorrendo o bairro do Indaiá achou o atual terreno da Paróquia e trouxe a notícia para o Pe. Miguel e para a comunidade.
Em 18 de junho de 1990 na sede da APAE, s 20h com a presença do Revmo. Pe. Miguel Rosseto, Vigário Episcopal formou-se então o 1ú conselho de assuntos econômicos.A partir deste dia, foi sugerido que se consultasse a Prefeitura Municipal e a Câmara quanto a posse do terreno.
Em outubro de 1990 em votação na Câmara dos Vereadores foi aprovada a conquista do terreno para a construção da Igreja e do chamado: Centro de Formação Pastoral. Logo após Pe. Miguel reuniu a comunidade e falou agora, mas do que nunca precisamos captar mais recursos.
A primeira festa aconteceu no ano de 1990 já dentro do Galpão construído, hoje o nosso salão paroquial, com Padre Miguel, e os organizadores da mesma foram: Idazil Oliveira de Faria, Antonio Gomes Lages, Luis Carlos Correa (Bolinha), Antunes Jose Sidney Trombini; onde não se tinha nada tudo era improvisado.
Em 14 de junho de 1991, foi assinada a escritura no gabinete do então Prefeito – Dr. José Bourabeby;o Vigário Episcopal – Pe. Miguel Rosseto; o Vigário Paroquial da Matriz Santo Antônio – Pe. Luiz Carlos dos Passos, e alguns membros do Conselho de Assuntos Econômicos e Administrativos da Comunidade. Os aterros iniciaram-se em 12 de outubro, as escavações e alicerces em 25 de novembro e no dia 22 de dezembro s 19h30, foi celebrada a Primeira Missa no Galpão, Presidida pelo Pe. Luiz Carlos dos Passos.

Como surgiu o Padroeiro?

O Padroeiro surgiu através de uma eleição, onde os concorrentes eram: Sagrado Coração de Jesus; Santa Maria e o Divino Espírito Santo.
De 28 a 31 de maio de 1992, realizou-se a I Festa do Divino, que aconteceu com o empenho de toda a comunidade e a festa, tanto religiosa quanto social foi um sucesso. Em 30 de julho de 1993, iniciou-se a construção dos alicerces do templo. No mesmo ano recebemos o pintor Italiano Sr. Lino que a convite de Pe. Miguel pintou um painel envolvendo todo o altar.

Como surgiu a primeira cruz na Catedral?

Pe. Miguel, andando pela praia encontrou o pessoal da prefeitura retirando entulho e pediu se poderiam retirar o tronco e levar até a Igreja em construção e ele mesmo com sua machadinha lavrau aquela madeira a modo de formar uma cruz, onde colou uma placa com os seguintes dizeres: Na catástrofe de 1967 rodou na serra com o poder das águas. Nesta madeira conta que salvou uma criança que estava rodando na enchente e ela ficou encostada na sua manada.

Dia 28 de fevereiro de 1994, chegada de Pe. Nino Carta.
Em 07 de abril foi decretada por Dom David Picão, a Reitoria Divino Espírito Santo.
Nos dias 19 e 20 de novembro aconteceu a I assembléia da reitoria.
Em 18 e 19 de novembro de 1995, aconteceu a II Assembléia na Reitoria com a presença de 117 participantes.
Em 26 de janeiro de 1996, chega de Santos, o Diácono Elmiram Ferreira Santos para ajudar o Pe. Nino nos trabalhos pastorais da reitoria Divino Espírito Santo.
Em 16 de novembro de 1996, Dom David conferiu o Sacramento da Ordem no Grau de Presbiterado ao Diácono Elmiram Ferreira dos Santos na Catedral da Diocese de Santos que depois retornou para Caraguatatuba na reitoria Divino Espírito Santo.
Em 19 de fevereiro de 1997, Pe. Francisco José Greco que também recebeu o Sacramento da Ordem com o Pe. Elmiram vem para Reitoria Divino Espírito Santo para ajudar Pe. Nino e Pe. Elmiram vai para a Paróquia Santo Antônio.

“Sonho que se sonha só, é somente um sonho. Sonho que se sonha junto, pode se tornar realidade”

E foi assim que Dom David Picão, bispo da Diocese de Santos e Pe. Miguel Rosseto, Vigário Episcopal fizeram acontecer a Diocese de Caraguatatuba, contando posteriormente com a força entusiasta do Pe. Nino Carta, do clero presente e de todos os fiéis engajados.

Dia 30 de julho aconteceu a posse do Pe. Elmiram como Cura da Catedral.
Em 24 de dezembro de 2002 foi inaugurado o novo Presbitério da Catedral.
No dia 08 de março de 2003 foi inaugurado o novo painel pintado pelo artista plástico Sr. Giani Parziale.
No dia 25 de janeiro de 2004 Pe. Elmiram se despediu da comunidade, em Missa Solene e retornou para a Diocese de Santos.
No dia 01 fevereiro Pe. Antonio ssias Gomes Fernandes assumiu como Cura da Catedral, com Missa Solene presidida por Dom Fernando Mason.

Pe. Elimiran, Pe. Antonio Messias e Pe. DislaualePadres que passaram pela nossa Catedral

  • Pe. Miguel Rossetto – 1991 a 1994
  • Pe. Pietro Saturnino Carta (Pe. Nino) – 1994 a 2000
  • Pe. Elmiram Ferreira Santos – 2000 a 2004
  • Pe. Antonio Messias Gomes Fernandes – 2004 a 2007
  • Pe. Dislau Nurczyk – 2007
  • Pe. Alessandro Henrique Coelho – 2008
  • Pe. André Luiz Ouriques – 2016