• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Mais de 4 mil carros receberam a benção de São Cristovão.

Ontem, dia 24, a cidade de Caraguatatuba através das sete paróquias realizou a carreata e bênção de São Cristovão. As carreatas saíram em de diversos pontos em direção a Praça de Eventos onde estavam os sacerdotes que abençoaram mais de 4 mil veículos entre carros de passeio, caminhões e motocicletas. Alguns ciclistas também fizeram questão de receber a bênção.

A festa de São Cristóvão começou um dia antes,23, com Missa de Ação de Graças na Paróquia São João Batista, celebrada pelo Pe. Mauro Jose Ramos, organizador do evento e quem possibilitou, com o apoio do clero local e dos órgãos públicos como Prefeitura Municipal de Caraguatatuba, Polícias Civil e Miltar, DER e Departamento Municipal de Trânsito, a retomada desta carreata que teve início na década de 80 e há 7 anos não mais acontecia.

O carro andor trazendo a imagem de São Cristóvão foi preparado por leigos da comunidade e a participação da senhora Zenaide Conceição, guardiã da imagem há mais de 20 anos. A imagem é a mesma que fica na entrada da cidade, trazida de São Paulo em 1983 pelo jornalista Roberto Espíndola num gesto de agradecimento por uma graça alcançada.

Segundo a organização  o evento superou as expectativas de participação já que muitos turistas também se dirigiram ao local para receber a bênção. Todos os participantes receberam material educativo sobre segurança de trânsito e um adesivo confeccionado especialmente para esta ocasião.

A ONU lançou no ano passado ,2010, a Década Mundial de Ação pelo Trânsito por meio da qual os governos de diversos países se comprometem a adotar medidas de prevenção de acidentes no trânsito, que atualmente são responsáveis por cerca de 1,3 milhões de mortes por ano. Esta é a nona causa de mortes em todo o mundo. Outras cerca de 50 milhões de pessoas ficam feridas a cada ano, milhares com lesões irreversíveis. No Brasil, iniciativas preventivas são sempre lançadas para que a população tome consciência, no entanto, o número de acidentes ainda é muito grande.

História – São Cristóvão da Pedra Santa

Quem chega a Caraguatatuba encontra na Praça 1º Centenário, Trevo de acesso á cidade, uma pequena imagem de São Cristóvão, recepcionando os motoristas que se dirigem ao Litoral norte. Poucas pessoas entretanto conhecem a história deste marco.

Corria o ano de 1983. À época, o jornalista Roberto Espíndola era vice-presidente da associação das Emissoras de radio e Televisão do Estado de São Paulo, e no desempenho de sua função costumava viajar pelo interior de São Paulo, visitando as emissoras de rádio. Numa dessas viagens envolveu-se num grave acidente, mas invocando a proteção de São Cristóvão, conseguiu sair ileso. Em sinal de gratidão, assumiu o compromisso de trazer para Caraguatatuba a imagem do padroeiro dos motoristas, de forma a que pudesse ser reverenciado pelos que estão ao volante, estendendo a todos a sua proteção.

A imagem veio, em carreata, da antiga igreja de São Cristóvão, que fica no bairro de Campos Elíseos, em São Paulo, no dia 25 de julho, data do padroeiro, e foi recepcionada pela população no alto da serra, junto ao posto Rodoviário, onde se incorporaram á carreata centenas de carros e caminhões.

Uma grande pedra foi retirada da Pedreira Massaguaçu e fixada com concreto no trevo de acesso, para compor, juntamente com a imagem, o Monumento a São Cristóvão. Numa cerimônia religiosa realizada no local,  a imagem foi abençoada por padres da Congregação do Sagrado Coração de Jesus que, convidados, vieram de Taubaté para a bênção.

Assim tomou forma a tradicional Carreata de São Cristóvão que por muitos anos foi realizada com o apoio de alguns padres locais, mas aos poucos, acabou caindo no esquecimento. O nome de São Cristóvão da Pedra Santa foi dado carinhosamente pelo jornalista Lázaro Macedo, já falecido, e que também alcançou uma graça. Esta história não estaria completa se não nos referíssemos senhora Zenaide Conceição, devota de São Cristóvão, que há anos cuida do local e da imagem, numa demonstração de fé e agradecimento.