• caraguatatuba
  • ilhabela
  • são sebastião
  • ubatuba

Bispo diocesano

DeniseDom José Carlos Chacorowski, Congregação da Missão.

Nasceu em Curitiba, Capital do Estado do Paraná em 26 de dezembro de 1956.
Entrou no Seminário Menor São Vicente de Paulo em Araucária, Paraná, no dia 28 de julho de 1968, onde cursou o Curso Clássico e a Filosofia.
Entrou no Seminário Maior São Vicente de Paulo, em Curitiba, em 25 de Janeiro de 1977, onde fez o noviciado.
Cursou a Teologia no Studium Theologicum de Curitiba dos Padres Claretianos.
Proferiu os Santos Votos no dia 25 de janeiro de 1980.
Ordenado Diácono pelo Arcebispo Metropolitano de Curitiba, D. Pedro M. Fedalto no dia 28 de abril de 1980.
Ordenado Sacerdote pelo Santo Padre o Papa João Paulo II no Rio de Janeiro no dia 02 de julho de 1980.
Professor no Seminário Diocesano da Diocese de Palmas, interior do Estado do Paraná, no ano de 1981.
Enviado em missão Ad Gentes para o Zaire (Hoje República Democrática do Congo) em janeiro de 1982, de onde voltou em dezembro de 1987 devido a uma terrível crise de malária.
Trabalhou na equipe da Pastoral Rodoviária de 1988 até 1996.
Foi Diretor Provincial das Filhas da Caridade da Província de Curitiba de 1996 até 2005.
Foi Pároco da Paróquia do Senhor Bom Jesus dos Perdões em Guaraqueçaba, Diocese de Paranaguá, Paraná, de 2005 até 2009.
Nomeado Diretor das Filhas da Caridade da Província da Amazônia no dia 07 de junho de 2009.
Nomeado Bispo Auxiliar de São Luis da Maranhão pelo Papa Bento XVI no dia 22 de dezembro de 2010.

Ordenado Bispo no dia 19 de fevereiro de 2011 na Paróquia Santo Antonio de Orleans em Curitiba.
Recebido oficialmente na Arquidiocese de São Luis do Maranhão no dia 12 de março de 2011.
Nomeado bispo da Diocese de Caraguatatuba em 19 de junho de 2013.
Acolhido na Diocese de Caraguatatuba em 17 de agosto de 2013.

Nomeado bispo da Diocese de Caraguatatuba em 19 de Junho de 2013.

Brao de Dom JoCarlos menor

Descrição Heráldica:
Escudo de tipo polonês, com o campo todo em goles, (vermelho). Sobre ele campeiam duas espadas de prata em aspa descendente. Em chefe, chama de ouro de quatro labaredas. Em contra-chefe, flor-de-lis, em prata.

Timbre:
Cruz episcopal de prata orlada em sable, (preto).

Ornamentos:
Chapéu prelatício em sinople, (verde), com forro em goles, (vermelho), com duas séries de seis borlas pendentes nos flancos do escudo.

Lema ou Mote:
Evangelizarepauperibusmisit em sable (preto), em listel de prata com reverso em goles (vermelho).

Descrição Temática ou Simbólica
O principal empenho do Bispo é a pregação do Evangelho, tanto é que São Paulo escreve: Mandou-me Cristo não para batizar, mas evangelizar, (1Cor. 1, 17). Esta pregação supõe dois aspectos: A pregação e os ouvintes. Uma das espadas representa Paulo, o paradigma do evangelizador; a outra, os ouvintes que, recebendo o Evangelho, aceitam a Palavra de Deus como uma força, pois, A Palavra de Deus é mais penetrante do que uma espada bem afiada. (Heb. 4, 12).

A Evangelização ou pregação deve ser obediente ao Espírito Santo, (chama em ouro), pois só Ele é quem inspira e fecunda a palavra evangélica. Tanto isso é verdade, que o Senhor Jesus, mesmo tendo dado aos apóstolos o mandato da pregação, Ide e pregai o Evangelho a toda criatura, (Mc. 16,15), ordenou-lhes com firmeza: Não saiais da cidade antes de serdes revestidos da força do Alto, (…), A promessa do Pai, (At. 1, 4).

Não se compreenderia, também, evangelização eficaz sem a presença de Maria. Foi ela dada a Igreja na pessoa de João: Filho, eis aí tua mãe, (Jo. 19, 27). Por isso é que assim descrevem os Atos dos Apóstolos a preparação da vinda do Paráclito: Todos estes, (Apóstolos), perseveravam unânimes na oração com algumas mulheres e com Maria, a Mãe de Jesus, (At. 1, 14). Percebemos, sem dúvida, que somente Maria é citada nominalmente, como que animando os pregadores do Evangelho, a começar dos apóstolos.

O campo vermelho simboliza principalmente a caridade, sem a qual, a pregação é vazia: Ainda que eu fale a língua dos anjos e dos homens, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa… (1Cor. 13, 1). Como Paulo, também São Vicente de Paulo, que fundou a Congregação da Missão qual pertence o novo bispo, foi um gigante da caridade, sobretudo, para com os pobres e desvalidos; daí Mandou-me para evangelizar os pobres, e Os pobres são evangelizados, (Lc. 7, 22).

O formato do emblema, as duas espadas, bem como todo o campo do brasão em vermelho, são tirados do brasão de família do Bispo eleito, família oriunda da Polônia, (Czachorowski ou Ciachorowski).
O ideal ou meta principal do novo bispo será baseado e vivido na caridade, afim de Evangelizar os Pobres.